El general de brigada es um tipo de caramelo – tradução automática e aprendizagem cultural.

Autores

  • Nylcea Thereza de Siqueira Pedra Universidade Federal do Paraná
  • Ruth Bohunovsky Universidade Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7968.2011v1n27p243

Palavras-chave:

aprendizagem cultural, tradução automática, ensino/ aprendizagem de línguas estrangeiras.

Resumo

O presente artigo tem por objetivo averiguar o papel assumido pela tradução (automática) no ensino/aprendizagem de línguas estrangeiras. Para tanto, discute-se, primeiramente, diferentes funções didáticas atribuídas à tradução. Entre elas, destaca-se a que objetiva a “aprendizagem cultural”, visando à sensibilização dos aprendizes para aspectos culturais relacionados à língua. Recorrendo a alguns teóricos, problematiza-se o uso de conceitos como “cultura”, “língua” e “tradução” e encontra-se nas proposições do teórico Claus Altmayer (2004) definições para os conceitos de “cultura” e “padrões culturais de interpretação” que norteiam as discussões sobre o desenvolvimento da atividade prática relatada. Nesta atividade, conciliando os elementos teóricos discutidos, reflete-se sobre o uso dos tradutores automáticos para o aprendizado de padrões culturais, destacando a sua importância para o real conhecimento da língua aprendida.

Biografia do Autor

Nylcea Thereza de Siqueira Pedra, Universidade Federal do Paraná

Professora do Departamento de Letras Estrangeiras Modernas, atuando na área de espanhol nas disciplinas de língua espanhola e suas literaturas.

Downloads

Publicado

2011-11-08

Edição

Seção

Dossiê de Tradução e Ensino de Língua Estrangeira