Traduzir para não entender: sobre o multilinguismo no teatro atual

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7968.2021.e74045

Palavras-chave:

Teatro Multilíngue, Tradução Teatral, Franz Grillparzer, Wadji Mouawad

Resumo

Partindo da premissa de que a coexistência de diferentes línguas é um fenômeno presente no teatro desde seus primórdios e que pode ser apresentada ao público de modos diferentes, este artigo examina duas montagens teatrais atuais, ambas explorando formas inovadoras de exibir o multilinguismo. Nos dois casos, os diretores optaram por traduzir peças originalmente escritas em uma única língua para outras línguas ou variantes linguísticas, no intuito de criar um estranhamento ou reforçar a sensação de não compreensão. O artigo descreve consequências desse cenário multilíngue para a tradução e a recepção de peças teatrais.

Biografia do Autor

Ruth Bohunovsky, Universidade Federal do Paraná

Possui graduação em Estudos da América Latina pela Universidade de Viena (1996), mestrado em Estudos da América Latina pela Universidade de Viena (1997) e doutorado em Lingüística Aplicada pela Universidade Estadual de Campinas (2003). Pesquisas de pós-doutorado nas Universidades de Campinas, de Santa Catarina, de Viena e de Graz. Atualmente é professora associada II da Universidade Federal do Paraná. Tem experiência nas áreas de Estudos da Tradução e Ensino de Alemão como Língua Estrangeira atuando principalmente nos seguintes temas: Tradução, Tradução de textos teatrais, Alemão como Língua Estrangeira no Brasil, Thomas Bernhard, Elfriede Jelinek. É coordenadora do Centro Austríaco na UFPR. É bolsista CNPQ (bolsa produtividade PQ nível 2). 

Referências

Affenzeller, Margarete. “Schräg: ‚König Ottokars Glück und Ende‘ im Volkstheater”. Der Standard (9 de janeiro de 2019). Web 6 mai 2020. https://www.derstandard.at/story/2000095786917/schraeg-koenig-ottokars-glueck-und-ende-im-volkstheater

Baur, Detlev. “Reise nach Jerusalem. Wajdi Mouawad: Vögel”. (16 de novembro de 2018). Web 3 fev 2020. https://www.die-deutsche-buehne.de/kritiken/reise-nach-jerusalem

Behrens, Marcus. “Theater als Form des Angriffs? Für Wajdi Mouawad reise ich auch nach Paris”. 2019. Web 3 fev 2020. https://www.theaterbremen.de/de_DE/theater-als-form-des-angriffs-fuer-wajdi-mouawad-reise-ich-auch-nach-paris

Bernardes, Everton Mitherhofer. Língua, xenofobia e barbárie: uma proposta de tradução para a trilogia “O Velo de Ouro” de Franz Grillparzer. 2019. 116f. Monografia (Bacharelado em Letras - Português e Alemão). Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2019. Web. 6 abr. 2020. http://www.humanas.ufpr.br/portal/letrasgraduacao/curriculos/monografias/monografias-2019/

Conter, Claude D. “Dramatik/Theater”. Dembeck, Till; Parr, Rolf (org.). Literatur und Mehrsprachigkeit. Ein Handbuch. Tübingen: Narr Francke, 2017, p. 277-289.

Davis, Natalie Zemon. Trickster Travels: A Sixteenth-Century Muslim Between Worlds. New York: Hill and Wang, 2007.

Dembeck, Till e Uhrmacher, Anne (org.). Das literarische Leben der Mehrsprachigkeit. Methodische Erkundungen. Heidelberg: Universitätsverlag Winter, 2016.

Griesel, Yvonne. Welttheater verstehen – Übertitelung, Übersetzen, Dolmetschen und neue Wege. Berlin: Alexander, 2014.

Kerlin, Alexander. “Identität – Sprache. Zusammengestellt von Alexander Kerlin”, Vögel Programa publicado em ocasião da estreia da peça em 13 de setembro de 2019. Viena: Akademietheater, 2019, p. 16-30.

Koberg, Roland. “Verlangen nach Volksnähe: Dušan David Pařízek im Gespräch mit Roland Koberg”. König Ottokars Glück und Ende. Programa publicado em ocasião da estreia da peça em 8 de janeiro de 2019. Viena: Volksheater, 2019.

Magris, Claudio. Der habsburgische Mythos in der modernen österreichischen Literatur. Wien: Zsolney, 2000.

Mouawad, Wajdi. Vögel. Tradução de Uli Menke. Frankfurt am Main: Verlag der Autoren, 2018.

Downloads

Publicado

2021-05-25