Impacto da internacionalização na visibilidade da produção científica do Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas: BIOQUÍMICA/UFRGS (2007-2016)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2019.e65382

Palavras-chave:

Internacionalização da Ciência, Bibliometria, Sistema de Avaliação da Pós-Graduação, CAPES

Resumo

Objetivo: avaliar o impacto da colaboração internacional na visibilidade da produção científica indexada na Web of Science do Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas: Bioquímica, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, de 2007 a 2016.

Método: A partir de técnicas bibliométricas (produção, coautoria e visibilidade), avaliaram-se duas questões centrais na política de internacionalização do Sistema de Avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES): 1) o conjunto de docentes atende aos atributos qualitativos de internacionalização quanto à publicação com pesquisadores estrangeiros? 2) as publicações com coautoria internacional estão relacionadas com os estratos mais elevados do Qualis Periódicos?

Resultado: O aumento da rede de cooperação com diversos países demostra que foi atingida a dimensão internacional da produção científica dos docentes do Programa, seguindo a atual tendência da ciência brasileira. Em 20,8% da produção com coautoria internacional, foram identificadas assimetrias internas: a maioria dos docentes apresentou de uma a cinco ou nenhuma publicação com cooperação de pesquisadores estrangeiros, enquanto que poucos docentes produziram mais de seis publicações individuais. A política de internacionalização é uma estratégia eficaz de difusão científica: as publicações em periódicos classificados nos estratos mais elevados do Qualis têm coautoria internacional.

Conclusões: Os resultados apontam para a necessidade de estratégias institucionais e governamentais para minimizar as assimetrias existentes de produção científica entre os docentes com o fomento e estímulo à internacionalização

 

Biografia do Autor

Ediane Maria Gheno, Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Possui graduação em Letras (Faculdade Porto-Alegrense) e Biblioteconomia (Universidade Federal do Rio Grande do Sul/UFRGS). É mestre e doutora em Educação em Ciências pela UFRGS. Tem experiência na área de Letras e Ciência da Informação (Biblioteconomia), atuando principalmente nos seguintes temas: Bibliotecas Comunitárias, Projetos de fomento ao livro e à leitura, Educação e divulgação Científica, avaliação institucional, Bibliometria e Cientometria.

Samile Andréa de Souza Vanz, Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Professora associada do Departamento de Ciências da Informação, do Programa de Pós-graduação em Comunicação e Informação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGCOM UFRGS) e do Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGCIN UFRGS). Graduada em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1999), mestre e doutora em Comunicação e Informação pelo PPGCOM UFRGS (2004 e 2009), com estágio sanduíche na Dalian University of Technology (China, 2007-2008). Pós-doutorado pela Universidad Carlos III de Madrid (Madrid, 2016). Editora da revista Em Questão (2014 - ). Desenvolve pesquisas na área de Comunicação Científica, com ênfase na produção de indicadores científicos, bibliometria, colaboração científica, análise de citação, análise de co-citação e rankings universitários.Tem experiência acadêmica e profissional na área de Planejamento, gestão e arquitetura de bibliotecas.

Leo Anderson Meira Martins, Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Graduado em Biologia (Licenciatura Plena) pela Universidade Luterana do Brasil (ULBRA); mestre e doutor em Ciências Biológicas (Bioquimica) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Possui experiência no estudo da citologia e histologia, tendo atuado como monitor em sala de aula de disciplinas relacionadas durante a graduação. Possui experiência em pesquisa, atuando durante a formação acadêmica, principalmente, no estudo dos efeitos do Resveratrol no tratamento da Fibrose Hepática, avaliando os efeitos desta molécula sobre os parâmetros de estresse oxidativo, integridade celular, metabolismo mitocondrial, autofagia, proliferação/morte e modulação fenotípica de células estreladas hepáticas (HSC). Atualmente, realiza estágio de pós-doutorado pelo Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Neste PPG, atua como professor colaborador vinculado à linha de pesquisa "Educação Científica: Processos de Ensino e Aprendizagem na Escola, na Universidade e no Laboratório de Pesquisa", em um projeto de pesquisa que busca aproximar o ambiente de pesquisa acadêmico à prática de ensino de ciência e neurociência nas escolas. Atua, também, como professor colaborador ao Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas: Bioquímica (UFRGS), trabalhando com imunocitoquímica, imunohistoquímica e análise morfológica celular, utilizando as ferramentas de microscopia de fluorescência confocal e citometria de fluxo.

Lucimara Figueira Duarte, Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Graduada em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e bolsista de Iniciação Científica no Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Diogo Onofre Souza, Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas: Bioquímica, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Concluí meu curso de Medicina em 1971, na Universidade Católica de Pelotas. Iniciei, em 1972, minhas atividades como aluno e pesquisador em Bioquímica na UFRGS (Prof. Tuiskon Dick). Em 1976 concluí meu Mestrado na UFRJ (Prof. Leopoldo de Meis) e, em 1980, meu Doutorado na UFRJ (Prof. Iván Izquierdo). Em 1980-1981 fiz meu Pós Doutorado (CNPq) na University of London (Prof. Richard Rodnight) e em 1987/1988 fui Professor Visitante do Laboratório de Neurobiologia, Universidad Autónoma de Madrid (Prof. Galo Ramirez). Em 1994/1995 fui Professor Visitante no Laboratório de Bioenergética, Departamento de Bioquímica Médica, UFRJ (Prof. Leopoldo de Meis). Em 1998 fui Visiting Scientist, no Neurology Service, Veterans Affair Medical Center, CA, USA (Prof. Raymond Swanson). Já publiquei mais de 450 artigos científicos em revistas indexadas de circulação internacional, orientei inúmeras Teses de Doutorado, Dissertações de Mestrado e dezenas de alunos de Iniciação Científica. Esta atuação envolve basicamente a área de Neurociências, onde atuo longo de toda minha vida científica, trabalhando em injúria cerebral mediada por glutamato e neuroproteção exercida pelo nucleosídeo guanosina, abordando aspectos básicos e clínicos de doenças cerebrais. Mais recentemente, comecei a me envolver com a área de Educação em Ciências, onde orientei várias Teses de Doutorado e Dissertações de Mestrado. Recentemente liderei a criação de um PPG em Educação em Ciências na UFRGS, tendo sido seu primeiro Coordenador. Atualmente, sou revisor de artigos científicos em mais de 30 periódicos internacionais, indexados.

Luciana Calabró, Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade de Caxias do Sul (2001), mestrado em Educação em Ciências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2008) e doutorado em Educação em Ciência pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2011). Atualmente é bolsista PNPD do Programa de Pós Graduação em Educação em Ciência na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Cientometria, Divulgação Científica e Educação.

Referências

BEAL, A. Gestão estratégica da informação: como transformar a informação e a tecnologia da informação em fatores de crescimento e de alto desempenho nas organizações. São Paulo: Atlas, 2012.

BEAVER, D. D. Reflections on scientific collaboration (and its study): past, present, and future. Scientometrics, v. 52, n.3, p. 365-377. 2001.

CALLON, M.; COURTIAL, J. P.; PENAN, H. Cienciometría: el estúdio cuantitativo de la atividade científica: de la bibliometria a la vigilância tecnológica. Espanha: Ediciones Trea, 1995.

CLARIVATE ANALYTICS. Research in Brazil: A report for CAPES by Clarivate Analytics, 2017. Disponível em: http://www.capes.gov.br/sala-de-imprensa/noticias/8726-documento-disponibilizado-a-capes-apresenta-desempenho-e-tendencias-na-pesquisa-brasileira. Acesso em: 2 abr. 2018.

CAPES. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Programa Institucional de Internacionalização – CAPES - PrInt. 2019. Disponível em: http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/multinacional/programa-institucional-de-internacionalizacao-capes-print. Acesso em: 11 mar. 2019.

CAPES. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Sobre a avaliação. 2017. Disponível em: http://www.capes.gov.br/avaliacao/sobre-a-avaliação. Acesso em: 2 jan. 2017.

CAPES. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Relatório de Avaliação 2013-2016 Quadrienal 2017, Ciências Biológicas II. 2017a. Disponível em: http://www.capes.gov.br/images/documentos/Relatorios_quadrienal_2017/RELATORIO_QUADRIENAL_CBII.pdf. Acesso em: 21 set. 2017.

CAPES. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. 2016. Avaliação Quadrienal 2016. Documento de Área 2016, Ciências Biológicas II. Disponível em: http://www.capes.gov.br/component/content/article/44-avaliacao/4659-ciencias-biologicas-ii. Acesso em: 10 fev. 2017.

CAPES. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Diretoria de Avaliação. 2016a. Considerações sobre o Qualis Periódicos: Ciências Biológicas II-2016. 2016. Disponível em: http://www.capes.gov.br/component/content/article/44-avaliacao/4659-ciencias-biologicas-ii. Acesso em: 29 out. 2018.

CAPES. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Classificação da produção intelectual. Qualis. 2014. Disponível em: http://www.capes.gov.br/avaliacao/instrumentos-de-apoio/classificacao-da-producao-intelectual. Acesso em: 7 set. 2015.

CAPES. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. 2013. Relatório de Avaliação 2010-2012 Trienal 2013, Ciências Biológicas II. Disponível em: http://www.capes.gov.br/component/content/article/44-avaliacao/4659-ciencias-biologicas-ii. Acesso em: 07 jun. 2016.

CAPES. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. CAPES. Plano Nacional de Pós-graduação – PNPG 2011-2020. Brasília, DF: CAPES, 2010. v. 1.

CAPES. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. 2010a. Relatório de Avaliação 2007-2009 Trienal 2010, Ciências Biológicas II. Disponível em: http://www.capes.gov.br/component/content/article/44-avaliacao/4659-ciencias-biologicas-ii. Acesso em: 07 jun. 2016.

CAPES. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Plano Nacional de Pós-Graduação – PNPG 2005-2010. Brasília, DF: CAPES, 2004.

FREEMAN, L. C. Centrality in social networks: I. Conceptual clarification. Social Networks, v. 1, p. 215–239, 1978.

GARFIELD, E.; SHER, I.H. New factors in the evaluation of scientific literature through citation indexing. Reprinted in Essays of an Information Scientist, v. 6, n. 3, p. 492-498, jul. 1963.

GHENO, E. M. et al. Sistema de Avaliação da CAPES: indicadores e procedimentos de monitoramento e avaliação de desempenho. Em Questão, v. 25, v. 3, p. 184-213, 2019.

GLÄNZEL, W. Bibliometrics as a research field: a courseon theory and application of bibliometric indicators . [s.l]: Research Gate, 2003.

GLÄNZEL, W. National characteristics in international scientific co-autorship relations. Scientometrics, v. 51, v. 1, p. 69-115. 2001.

GLÄNZEL, W.; SCHUBERT, A. Double effort = Double impact? A critical view at international co-authorship in chemistry. Scientometrics, v. 50, n. 2, p. 199-214, fev. 2001.

GLÄNZEL, W.; LETA, J.; THIJS, B. Science in Brazil. Part 1: a macro-level comparative study. Scientometrics, v.67, p. 67-86, 2006.

HOSTINS, R. C. L. Os Planos Nacionais de Pós-graduação (PNPG) e suas repercussões na Pós-graduação brasileira. Perspectiva, v. 24, n. 1, p. 133-160, jan/jun. 2006.

IRIBARREN-MAESTRO, I.; LASCURIN-SÁNCHEZ, M. L.; SANZ-CASADO, E. Are multi-authorship and visibily related? Study of ten reserach at Carlos III University of Madrid. Scietometrics, v. 79, n. 1, p. 191-200. 2009.

LESCA, H.; ALMEIDA, F. C. Administração estratégica da informação. Revista de Administração, v. 29, n. 3, p. 66-75, jul./set. 1994.

LETA, J. Indicadores de desempenho, ciência brasileira e cobertura das bases informacionais. Revista USP, v. 89, p. 62-77, mar./maio. 2011.

PERSSON, O.; DANELL, R., SCHNEIDER, J. W. 2009. How to use Bibexcel for various types of bibliometric analysis. In: Celebrating scholarly communication studies: A Festschrift for Olle Persson at his 60th Birthday, ed. F. Åström, R. Danell, B. Larsen, J. Schneider, p 9–24. Leuven, Belgium: International Society for Scientometrics and Informetrics.

MARRARA, T. Internacionalização da Pós-Graduação: objetivos, formas e avaliação. RBPG, Brasília, v. 4, n. 8, p. 245-262, dez. 2007.

PACKER, A. L.; MENEGHINI, R. Visibilidade da produção científica. In: Poblacion, D. A.; Witter, G.P.; Silva, J. F. M. (Orgs.). Comunicação e produção científica: contexto, indicadores e avaliação. São Paulo: Angellara, 2006.

RICYT. Red Iberoamericana de Indicadores de Ciencia y Tecnología. Manual de Santiago. Santiago, Chile, 2007.

ROYAL SOCIETY. Knowledge, Networks and Nations: global scientific collaboration in the 21st century. London: The Royal Society, 2011.

SANTIN, D. M.; VANZ, S. A. S.; STUMPF, I. R. C. Produção científica em Ciências Biológicas da UFRGS: tendências temáticas no período 2000-2011. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 20, n. 3, p. 3-21. 2015a.

SANTIN, D. M.; VANZ, S. A. S.; STUMPF, I. R. C. Internacionalização da produção científica em Ciências Biológicas da UFRGS: 2000-2011. TransInformação, Campinas, v. 27, n. 3, p. 209-218, set./dez. 2015.

SANTIN, D. M. Internacionalização da produção científica em Ciências Biológicas da UFRGS: 2000-2011. 2013. 147 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Informação) – Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

SEBASTIÁN, J. El papel de la cooperación en la internacionalización de la I+D. Ide@s CONCYTEG, v. 4, n. 53, nov. 2009.

SOLLA PRICE, D. J. Little Science, Big Science. New York: Columbia University Press, 1986.

SUÁREZ-BALSEIRO, C.; GARCÍA-ZORITA, C.; SANZ-CASADO, E. Multi-authorship and its impact on the visibility of research from Puerto Rico. Information Processing and Management, v. 45, p. 469-476. 2009.

UFRGS. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Ciências Básicas da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas: Bioquímica. Regimento. 2016. Disponível em: https://www.ufrgs.br/ppgbioq/. Acesso em: Acesso em: 07 jun. 2018.

UFRGS. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Ciências Básicas da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas: Bioquímica. Linhas de Pesquisa. 2019. Disponível em: https://www.ufrgs.br/ppgbioq/. Acesso em: Acesso em: 8 abr. 2019.

VANZ, S. A. S. et al. Scientific collaboration between Brazil and Spain: journals and citations. Encontros Bibli, v. 21, n. 47, p. 41-50, 2016.

VANZ, S. A. S.; STUMPF, I. R. C. Scientific output indicators and scientific collaboration network mapping in Brazil. Collnet Journal, v. 6, n. 2, 2012.

WAGNER, C.S.; LEYDESDORFF, L. Network structure, self-organization, and the grow of international collaboration in science. Research Policy, Amsterdam, v. 34, p. 1608-1618. 2005.

Publicado

2020-02-06

Edição

Seção

Artigo