A decolonialidade no campo da biblioteconomia: A intersecção com a biblioteca universitária

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2023.e91389

Palavras-chave:

Decolonialidade, Biblioteca universitária, Biblioteconomia, Diversidade, Bibliotecário

Resumo

Objetivo: objetivo contribuir com aspectos, reflexões e teorias ligadas à decolonialidade no campo da Biblioteconomia, mais precisamente no campo das bibliotecas universitárias, verificando ações decoloniais existentes no que se refere à cultura e às práticas por meio da integração da biblioteca e de seus usuários.

Método: Utiliza o método qualitativo teórico com ênfase na epistemologia e pesquisa em fontes bibliográficas.

Resultado: É verificado o contexto das relações decoloniais no cenário acadêmico com abrangência nas áreas de educação, sociais, culturais e de informação. Também é verificado como o profissional bibliotecário, por meio da sua formação, pode trabalhar com aspectos ligados à decolonialidade. Por fim, a questão da diversidade em bibliotecas acadêmicas é vista tanto no aspecto teórico quanto no prático, relacionada às melhores ações de promoção e equidade social.

Conclusões: Apresenta algumas questões ligadas à decolonialidade em bibliotecas universitárias e a função do profissional bibliotecário como agente social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Michele Marques Baptista, Universidade de Caxias do Sul

Mestre em Letras, Cultura e Regionalidade pela Universidade de Caxias do Sul (2015). Especialista em Gestão de Pessoas pela Universidade de Caxias do Sul (2008). Pós graduada em Arquivologia pela Faculdade Venda Nova do Imigrante (2020). Bacharel em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Rio Grande (2004). Bibliotecária e Coordenadora Administrativa do Sistema de Bibliotecas da Universidade de Caxias do Sul. Coordenadora do Arquivo Central da Universidade de Caxias do Sul. Professora do Curso de Biblioteconomia da Universidade de Caxias do Sul.

Referências

BALLESTRIN, Luciana. América Latina e o giro decolonial. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, n. 11, p.89-117, ago. 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbcpol/n11/04.pdf. Acesso em: 18 jun. de 2022.

BERNARDINO-COSTA, Joaze; MALDONADO-TORRES, Nelson; GROSFOGUEL, Ramón (comp.). Decolonialidade e pensamento afrodiaspórico. Autêntica Editora, 2018.

CASAL, Celvio Derbi. Bibliotecas, cultura e ação cultural. In. SILVA, Fabiano Couto Corrêa da (org.). O perfil das novas competências na atuação bibliotecária. Florianópolis, SC: Rocha Gráfica e Editora, 2020. p. 199-224. Disponível em: http://biblio.eci.ufmg.br/ebooks/2021010003.pdf. Acesso em: 29 jun. de 2022.

CASTRO-GÓMEZ, Santiago. Los avatares de la crítica decolonial. Tabula Rasa, Bogotá, n. 16, EneroJunio, 2012.

DESSAUER, John P. Tudo sobre a publicação de livros: a experiência editorial nos Estados Unidos. São Paulo: Mosaico, 1979. v. 1.

DUARTE, Yaciara Mendes. A sociedade da desinformação e os desafios do bibliotecário em busca da biblioteconomia social. In: RIBEIRO, Anna Carolina Mendonça Lemos; FERREIRA, Pedro Cavalcanti Gonçalves (orgs.). Bibliotecário do século XXI: pensando o seu papel na contemporaneidade. Brasília: Ipea, 2018. p. 67-81. Disponível em: http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/8298/1/Bibliotec%C3%A1rio%20do%20s%C3%A9culo%20XXI_pensando%20o%20seu%20papel%20na%20contemporaneidade.pdf. Acesso em: 01 jul. de 2022.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 25. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

FREIRE, Paulo. Política e educação. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

FREITAS, Marcos Cezar de; FARIA FILHO, Luciano Mendes de. Em busca de um tema esquecido: o lugar da educação nas recentes interpretações do Brasil. Araucária. Revista Iberoamericana de Filosofía, Política y Humanidades, v. 19, n. 38. Segundo semestre de 2017. Pp. 345-364. ISSN 1575-6823 e-ISSN 2340-2199. Doi: 10.12795/araucaria.2017.i38.15. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/282/28253016014.pdf. Acesso em: 22 jun. de 2022.

MALDONADO-TORRES, Nelson. Sobre la colonialidad del ser: contribuciones al desarrollo de un concepto. In: CASTRO-GÓMEZ, Santiago; GROSFOGUEL, Ramón (orgs.). El giro decolonial: reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global. Bogotá: Siglo del Hombre, 2007.Disponível em: http://ram-wan.net/restrepo/decolonial/17-maldonado-colonialidad%20del%20ser.pdf. Acesso em: 19 jun. de 2022.

MIGNOLO, Walter. Historias locales/disenos globales: colonialidad, conocimientos subalternos y pensamiento fronterizo. Madrid: Akal, 2003.

MISOCZKY, Maria Ceci; BÖHM, Steffen. Resistindo ao desenvolvimento neocolonial: a luta do povo de Andalgalá contra projetos megamineiros. Cadernos EBAPE. BR, v. 11, n. 2, p. 311-339, 2013.

NUNES, Martha Suzana Cabral; CARVALHO, Kátia de. As bibliotecas universitárias em perspectiva histórica: a caminho do desenvolvimento durável. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 21, n. 1, p.173-193, jan./mar 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/j/pci/a/LCcVhWXmMt6ydMmG6Gmmmzw/?lang=pt&format=pdfAcesso em: 07 jul. de 2022.

PAIVA, Ana Paula Mathias de. A aventura do livro experimental. São Paulo: EDUSP, 2010.

PORTO-GONÇALVES, Carlos Walter. Apresentação da edição em português. In: LANDER, Edgardo (org). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latinoamericanas. Buenos Aires, Argentina, 2005. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/2591382/mod_resource/content/1/colonialidade_do_saber_eurocentrismo_ciencias_sociais.pdf. Acesso em: 21 jun. de 2022.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade, poder, globalização e democracia. Novos Rumos. v. 17, n. 37, 2002, p. 1-25. Disponível em: http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/2010/veiculos_de_comunicacao/NOR/NOR0237/NOR0237_02.PDF. Acesso em: 23 jun. de 2022.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In: LANDER, E. (Org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais: perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales, 2005. Disponível em: http://biblioteca.clacso.edu.ar/clacso/sur-sur/20100624103322/12_Quijano.pdf. Acesso em: 21 jun. de 2022.

QUIJANO, Aníbal. Coloniality and modernity/rationality. Cultural studies, v. 21, n. 2-3, p. 168-178, 2007.

SILVA, Franciéle Carneiro Garcês da. Bibliotecária de editoração de livros científicos com enfoque social. In. SILVA, Fabiano Couto Corrêa da (org.). O perfil das novas competências na atuação bibliotecária. Florianópolis, SC: Rocha Gráfica e Editora, 2020. p. 455-463. Disponível em: http://biblio.eci.ufmg.br/ebooks/2021010003.pdf. Acesso em: 29 jun. de 2022.

SOUZA, Júlio Roberto de Pinto; MIGNOLO, Walter. A modernidade é de fato universal? Reemergência, desocidentalização e opção decolonial. Civitas, Porto Alegre, v. 15, n. 3, p. 381-402, jul.-set. 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/j/civitas/a/qqRR8D8df5RKQN9bLmQjFmn/?lang=pt. Acesso em: 23 jun. de 2022.

Publicado

2023-05-05

Como Citar

BAPTISTA, Michele Marques. A decolonialidade no campo da biblioteconomia: A intersecção com a biblioteca universitária. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, [S. l.], v. 28, n. Dossie Especial, p. 1–17, 2023. DOI: 10.5007/1518-2924.2023.e91389. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/91389. Acesso em: 19 jun. 2024.

Artigos Semelhantes

<< < 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.