Injustiça de gênero e sexualidade LGBTQIA+: A produção de conhecimento à margem na ciência da informação na região sul

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2023.e92370%20

Palavras-chave:

Gênero e Sexualidade, Injustiça hermenêutica, Informação gênero-sexualidade, LGBTQIA

Resumo

Objetivo: O artigo objetiva identificar produções sobre os estudos de gênero e sexualidade LGBTQIA+ na Ciência da Informação (CI). Nesta pesquisa bibliográfica, o aporte teórico segue uma aproximação dos estudos de gênero e da sexualidade com a perspectiva da injustiça epistêmica e suas abordagens estrutural e hermenêutica em contexto de relações de poder e desigualdades históricas de pessoas que fogem à hegemonia heterossexual.

Método: O recorte do levantamento são as linhas de pesquisa de Programas de Pós-Graduação (PPGs) e produções acadêmicas no Catálogo de Teses e Dissertações da CAPES que abordam temáticas de gênero e sexualidade na região sul do Brasil na CI. Interessa identificar as contribuições do campo na gênese e no desenvolvimento de espaços de produção sobre a temática. A partir do mapeamento de referenciais teóricos e metodológicos, como também objetos de estudo mais recorrentes, pretende-se delinear as contribuições, avanços e limites do campo da CI no contexto de desigualdades históricas. Entende-se a importância de identificar autores e instituições contemporizando as discussões de estudos interseccionais e decoloniais. 

Resultado: É relevante flagrar e mapear formas estruturantes de manutenção de poder e espaços de resistência e de superação das desigualdades das representações e experiências que trazem sentido no contexto histórico e social para os que escapam das normas e hegemonias sobre gênero e sexualidade. Identificamos um total de 42 teses e dissertações em CI sobre as temáticas de gênero e sexualidade, sendo que apenas 6 foram realizadas no Sul do Brasil. Quanto às linhas de pesquisa dos PPGs, das 24 instituições de nível superior do Brasil que oferecem cursos de mestrado e doutorado, em apenas uma linha de pesquisa foi identificado o termo “gênero” em sua descrição.

Conclusões: Consideramos que os temas em foco ainda estão sub-representados na abordagem LGBTQIA+ tanto em linhas de pesquisa quanto na produção acadêmica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Iribure Rodrigues, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Professor Associado Fabico/UFRGS, professor Colaborador PPGCIN/UFRGS, graduação em Comunicação Social – habilitação publicidade e propaganda, Mestrado e Doutorado em Comunicação e Informação PPGCOM/UFRGS - doutorado-sanduíche PPGCOM/UFRJ. Secretário de Comunicação UFRGS 2016/2020, Coordenador Regional COGECOM/Andifes 2018/2020,Coordenador Comunicação Aliança para Inovação - UFRGS/PUCRS/Unisinos - 2018/2020, Coordenador Comunicação Pacto Alegre – Aliança e PMPA - 2018/2020, Chefe do Departamento de Comunicação – 2009/2012, Vice-diretor 2012/2016 - Fabico-UFRGS. Atuando principalmente nos seguintes temas: representação, homossexualidades, publicidade e propaganda, comunicação publicitária e história

Ana Elisa de Abreu Vargas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Mestranda e bolsista no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da UFRGS - PPGCIN (2022). Bacharel em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Rio Grande - FURG (2022). Estagiou na Secretaria de Comunicação - SECOM da Universidade Federal do Rio Grande - FURG (2018 - 2020). Atuou como bolsista do projeto Centro Brasileiro de Memória dos Movimentos Sociais LGBT, atividade de extensão promovida pela Pró-reitora de Extensão e Cultura - PROEXC e pelo Instituto de Educação - IE, da Universidade Federal do Rio Grande - FURG (2017). Estagiou na Secretaria da Segurança Pública de Porto Alegre (2013)

Referências

ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. Arquivologia, Biblioteconomia, Museologia e Ciência da Informação: o diálogo possível. Brasília: Briquet de Lemos, 2014a.

ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. Ciência da Informação como ciência social. Ciência da Informação, Brasília, v. 32, n. 3, p. 21-27, set./dez. 2003.

ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. Fundamentos da Ciência da Informação: correntes teóricas e o conceito de informação. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, João Pessoa, v. 4, n. 1, p. 57-79, jan./jun. 2014b.

ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. O que é Ciência da Informação. Belo Horizonte: KMA, 2018.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BASTOS, Carine Melo Cogo. A Organização do Conhecimento e a inclusão das mulheres na Brigada Militar: questões de gênero e memória documental representados a partir de uma taxonomia. 2021. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2021.

BAUER, Martin W. Análise de Conteúdo Clássica: uma revisão. In: BAUER, Martin; GASKELL, George (ed.). Pesquisa Qualitativa com Texto: imagem e som: um manual prático. Trad. Pedrinho A. Guareschi. Petrópolis: Vozes, 2002. p.189-217.

BERGER, Peter. L.; LUCKMANN, Thomas. A construção social da realidade: tratado de Sociologia do conhecimento. 32. ed. Petrópolis: Vozes, 2010. 248 p.

BRITO, Jean Fernandes. Arquitetura da Informação em websites de turismo LGBTQ. 2019. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2019.

BUFREM, Leilah Santiago; NASCIMENTO, Bruna Silva do. A questão do gênero na literatura em Ciência da Informação. Em questão, Porto Alegre, v. 18, Edição Especial, p. 199-240, 2012.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: Feminismo e subversão da identidade. 2ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008. 236 p.

CARDOSO, Francilene do Carmo. O negro na biblioteca: mediação da informação: para construção da identidade negra. Curitiba: CRV, 2015.

CRENSHAW, Kimberle. Demarginalizing the intersection of race and sex: a black feminist critique of antidiscrimination doctrine, feminist theory and antiracist politics. [S.l.], 1989. Disponível em: https://chicagounbound.uchicago.edu/cgi/viewcontent.cgi?Article=1052& context=uclf. Acesso em: dez. 2022.

CRENSHAW, Kimberle. Documento para o encontro de especialistas em aspectos da discriminação racial relativos ao gênero. Estudos Feministas, Florianópolis, Ano 10, v. 1, 2002. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ref/v10n1/11636.pdf Acesso em: 12 dez. 2022.

ELIAS, Norbert. A sociedade dos indivíduos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1994. 201 p. v. 1.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade II: o uso dos prazeres. 7. ed. Rio de Janeiro: GRAAL, 2004. 232 p.

FREIRE, Isa Maria; ARAUJO, Vania Mara Rodrigues Hermes de. A responsabilidade social da Ciência da Informação. Transinformação, [s.l.], v. 11, n. 13, jan/abr. 1999. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/23111 Acesso em: 15 dez. 2022.

FRICKER, Miranda. Epistemic Injustice: Power and the Ethics of Knowing. New York: Oxford University Press Inc., 2007.

GHEAUS, Anca. Feminism and Gender. In: FIALA, Andrew (ed.). Bloomsbury Companion to Political Philosophy. Bloomsbury Academic, 2015. p. 167-183.

GOMES, Camilla de Magalhães. Gênero como categoria de análise decolonial. Civitas, v. 18, n. 1, p. 65-82, jan./abr. 2018.

GONZÁLEZ DE GÓMEZ, M. N. Para uma reflexão epistemológica acerca da Ciência da Informação. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 6, n. 1, p. 5-18, 2001.

HALL, Stuart. Da Diáspora: Identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2003.

HJØRLAND, Birger. Domain analysis in information science: Eleven approaches – traditional as well as innovative. Journal of Documentation, United Kingdom, v. 58, n. 4, p. 422–462, ago. 2002. Disponível em: https://doi.org/10.1108/00220410210431136. Acesso em: dez. 2022.

INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA (IBICT). Histórico. Disponível em: http://sitehistorico.ibict.br/sobre-o-ibict/historico-1. Acesso em: dez. 2022.

JESUS, Jaqueline Gomes. Orientações sobre identidade de gênero: conceitos e termos. Brasília: Autor, 2012. Disponível em: https://www.diversidadesexual.com.br/wp-content/uploads/2013/04/GÊNERO-CONCEITOS-E-TERMOS.pdf. Acesso em: dez. 2022.

KILLERMANN, Sam. A guide to gender: the social justice advocate’s handbook. 2.ed. Austin: Impetus Books, 2017.

KILOMBA, Grada. “Descolonizando o conhecimento”: Uma Palestra-Performance de Grada de Kilomba. Tradução de Jessica Oliveira, 2016.

LANZ, Letícia. O corpo da roupa: a pessoa transgênera entre a transgressão e a conformidade como as normas de gênero. Uma introdução aos estudos transgêneros. Curitiba: Transgente, 2015.

LEFÈVRE, Fernando; LEFÈVRE, Ana Maria Cavalcanti. A proposta do DSC. São Paulo: IDPDSC, 2006. 4p. Disponível em: http://www.idpdsc.com.br/. Acesso em: dez. 2022.

LOPES, Marcos Vinicius. Folksonomia para representação do conhecimento em fotografias do movimento LGBT+ em unidades de informação. 2021. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) - Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2021.

LOURO, Guacira Lopes. Pedagogias da sexualidade. In: LOURO, Guacira Lopes (Org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Trad. de Tomas Tadeu da Silva. Belo Horizonte: Autêntica, 1999. p. 9-34.

LOURO, Guacira Lopes. Um Corpo Estranho. São Paulo: Autêntica, 2004.

MARTINS, Guilherme. Gênero e sexualidade – discursos e representações na percepção de bibliotecários(as) da Rede Municipal de Ensino de Florianópolis. 2018. Dissertação (Mestrado Profissional de Gestão da Informação) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2018.

MORAES, Roque; GALIAZZI, Maria do Carmo. Análise textual discursiva: processo reconstrutivo de múltiplas faces. Ciência & Educação, [s.l.], v. 12, n. 1, p. 117-128, 2006.

MOSCOVICI, Serge. Representações sociais: investigações em psicologia social. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 2009.

NASCIMENTO. Marcela Aguiar da Silva. Práticas Informacionais de Travestis da Grande Vitória (ES). 2021. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação). Universidade Federal do Espírito Santo. Vitória, 2021.

NICHOLSON, Linda. Interpretando o gênero. Estudos Feministas, Florianópolis, Ano 8, p. 09-41, 2. Sem. 2000. Disponível em: http://www.portalfeminista.org.br. Acesso em: dez. 2022.

OLIVEIRA, José Marcelo Domingos de; MOTT, Luiz. Mortes violentas de LGBT+ no Brasil – 2021: Relatório do Grupo Gay da Bahia/ José Marcelo Domingos de Oliveira. Salvador: Editora Grupo Gay da Bahia, 2022. Disponível em: https://grupogaydabahia.files.wordpress.com/2022/02/mortes-violentas-de-lgbt-2021-versao-final.pdf. Acesso em: dez. 2022.

PASSOS, Mariana Faustino dos. Estudos de gênero na Ciência da Informação: análises dos anais do ENANCIB. 2019.

Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2019.

PEREIRA, Pedro Paulo Gomes. Queer decolonial: quando as teorias viajam. Contemporânea, [s.l.], v. 5, n. 2, p. 411-437, jul./dez. 2015.

PINHEIRO, Lena Vania Ribeiro. Cenário da Pós-Graduação em Ciência da Informação no Brasil, influências e tendências. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 8., 2007, Salvador. Anais [...] Salvador: UFBA, 2007. 14 p. Disponível em http://www.enancib.ppgci.ufba.br/artigos/GT1-226.pdf. Acesso em: dez. 2022.

PINTO, Elton Mártires. Informação e transgeneridade: o comportamento informacional de mulheres transgêneras e as percepções da identidade de gênero. 2018. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) - Universidade de Brasília, Brasília, 2018.

PRECIADO, PAUL B. Aprendiendo del Virus. In: AGAMBEN, Giogio et al. Sopa de Wuhan: pensamiento contemporáneo em tiempos de pandemias. Madrid: ASPO, 2020. p. 163-185.

RIOS, Roger Raupp. Direitos Humanos, Direitos Sexuais e Homossexualidade. Amazônica – Revista de Antropologia, Pará, v. 3, n. 2, p. 288-298, 2012.

RIOS, Roger Raupp. Tramas e interconexões no Supremo Tribunal Federal: Antidiscriminação, gênero e sexualidade. Revista Direito e Práxis, Rio de Janeiro, v. 11, n. 2, p. 1332-1357, 2020. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rdp/v11n2/2179-8966-rdp-11-02-1332.pdf. Acesso em: dez. 2022.

RODRIGUES, André Iribure. A publicidade e Propaganda como representação GLBT e estratégia de mercado GLS. Comunicação & Política, v. 26, n. 3, p. 03-25, set./dez. 2008.

RODRIGUES, André Iribure. Representações LGBTQIA+ na publicidade televisiva e suas repercussões no Facebook. In: OLIVEIRA-CRUZ, M. F. (Org). Publicidade e Gênero: representações e práticas em questão. Santa Maria: FACOS-UFSM, 2019. parte 1, p. 75-98.

SERAFIM, Jucenir da Silva. Travestis no Universo da Arte: um retrato da memória social no âmbito da cultura do FILO. 2018. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2018.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 1-34, 1995.

SICILIANO, Mell; SOUZA, Cleiton da Mota de Souza; METH, Clara de Mello e Souza. Sobre o que falamos quando falamos em gênero na ciência da informação? Informação & Informação, Londrina, v. 22, n. 2, p. 144-165, 2017. DOI: 10.5433/1981-8920.2017v22n2p144 Acesso em: dez. 2022.

SPEES, Pam. Surfacing Rhonda. Cuny Law Review, New York, v. 15, n. 2, p. 308-313, 2012. Disponível em: https://academicworks.cuny.edu/clr/vol15/iss2/15/ . Acesso em: dez. 2022.

TENNIS, Joseph T. Com o que uma análise do domínio se parece no tocante a sua forma, função e gênero. Brazilian Journal of Information Science: research trends, Marília, v. 6, n.1, p. 3-15, jan./jun. 2012. Disponível em: https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjis/article/view/3026. Acesso em: dez. 2022.

TREVISAN, João Silvério. Devassos no Paraíso: a homossexualidade no Brasil, da colônia à atualidade. Rio de Janeiro: Record, 2004.

WEEKS, Jeffrey. O corpo e a sexualidade. In: LOURO, Guacira (Org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2001. p. 37-82.

Publicado

2023-05-05

Como Citar

RODRIGUES, André Iribure; DE ABREU VARGAS, Ana Elisa. Injustiça de gênero e sexualidade LGBTQIA+: A produção de conhecimento à margem na ciência da informação na região sul. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, [S. l.], v. 28, n. Dossie Especial, p. 1–23, 2023. DOI: 10.5007/1518-2924.2023.e92370 . Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/92370. Acesso em: 30 maio. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.