A mulher negra professora e seus lugares de pertencimento

Autores

  • Claudia Moreira Costa Centro Educacional de Jaguaquara, Jaguaquara, BA
  • Maria de Fátima Di Gregorio Universidade do Sudoeste da Bahia, Jequié, BA

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-1384.2018v15n3p73

Palavras-chave:

Professoras Negras, Gênero, Identidade Étnica, Saberes Profissionais

Resumo

Este artigo é o resultado de uma investigação realizada com um grupo de mulheres negras professoras de um programa de formação continuada, promovido pelo Órgão de Educação e Relações Étnicas (ODEERE), da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). Focaliza a construção dos saberes profissionais, privilegiando as identidades de gênero e étnica. Para tanto, objetivou-se investigar como professoras negras egressas do Curso de Extensão em Educação e Culturas Afro-brasileiras do ODEERE têm articulado as questões de gênero e etnicidade aos seus saberes profissionais, buscando compreender os percursos e dilemas desse processo. Nesse sentido, analisou-se as categorias gênero, identidade étnica e saberes profissionais. Trata-se de uma pesquisa empírica, de natureza qualitativa, ancorada na História Oral. Os achados apresentam elementos para pensar os sentidos atribuídos ao curso de formação continuada na percepção, reconhecimento e/ou embasamento teórico para a identidade de gênero e afirmação do pertencimento étnico, assim como a mobilização de saberes profissionais para lidarem com questões dessa natureza em suas práxis.

Biografia do Autor

Claudia Moreira Costa, Centro Educacional de Jaguaquara, Jaguaquara, BA

Doutoranda em Relações Étnicas e Contemporaneidade na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Jequié, BA. Pesquisadora do Grupo de Estudos Hermenêuticos sobre Família, Territórios, Identidades e Memórias. Professora da rede municipal de ensino de Jaguaquara, BA, Brasil

Maria de Fátima Di Gregorio, Universidade do Sudoeste da Bahia, Jequié, BA

Doutora em Família na Sociedade Contemporânea  na Universidade Católica do Salvador. Coordenadora do Grupo de Estudos Hermenêuticos sobre Família, Territórios, Identidades e Memórias. Professora de História da Educação na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia e do Mestrado em Relações Étnicas e Contemporaneidade na Universidade do Sudoeste da Bahia, Jequié, BA, Brasil

Referências

BARTH, Fredrik. Os grupos étnicos e suas fronteiras. In: POUTIGNAT, Philippe; STREIFF_FENART, Jocelyne. Teorias da Etnicidade. Seguido de Grupos Étnicos e suas fronteiras de Fredrik Barth. Tradução de Elcio Fernandes. 2 ed. – São Paulo: Ed. Unesp, 2011.

CUNHA, Manuela Carneiro. Cultura com aspas e outros ensaios. São Paulo: Cosac Naify, 2009.

GOMES, Nilma Lino. A mulher negra que vi de perto: o processo de construção da identidade racial de professoras negras. Belo Horizonte: Mazza Edições, 1995.

LARAIA, Roque de Barros. Cultura: um conceito antropológico. 11 ed. Rio de Janeiro: Zahar Editor, 1996.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação. Petrópolis, RJ Uma perspectiva pós-estruturalista: Vozes, 1997.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero e sexualidade: pedagogias contemporâneas. Pró-Posições, v. 19, n. 2 (56) - maio/ago. 2008.

MEIHY, J. C. S. B.; HOLANDA, F. História oral: como fazer, como pensar. São Paulo: Contexto, 2013.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. In: Projeto História: São Paulo: PUC, nº 10. Dez. 1993.

NOVOA, Antonio. Formação de professores e profissão docente. In: NÓVOA, António. Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote/IIE, 1997.

POUTIGNAT, Philippe; STREIFF_FENART, Jocelyne. Teorias da Etnicidade. Seguido de Grupos Étnicos e suas fronteiras de Fredrik Barth. Tradução de Elcio Fernandes. 2 ed. – São Paulo: Ed. Unesp, 2011.

SAFFIOTI, Heleieth Iara Bongiovani. A mulher na sociedade de classes: mito e realidade. Petrópolis: Vozes, 1976.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação e realidade. Porto Alegre: v. 16, nº. 2, julho/dezembro de 1995.

SILVA, Tomaz Tadeu da (Org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2014.

SOUZA, Neusa Santos. Tornar-se negro: as vicissitudes da identidade do negro brasileiro em ascensão social. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1983.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2014.

VIANNA, Cláudia Pereira. O sexo e o gênero da docência. Cadernos Pagu, Campinas, n. 17-18, 2001-2002.

______. A feminização do magistério na educação básica e os desafios para a prática e a identidade coletiva docente. In: YANNOULAS, Silvia Cristina (Org.). Trabalhadoras: análise da feminização das profissões e ocupações. Brasília, DF: Abaré, 2013.

Downloads

Publicado

2018-09-13

Edição

Seção

Artigos - Estudos de Gênero