Design da semipresencialidade na formação de tradutores técnico-científicos, do português ao espanhol.

Anabel Galán-Mañas

Resumo


O objectivo deste artigo é apresentar o design de uma disciplina de tradução técnico-científica do português ao espanhol, na modalidade semipresencial. As tecnologias permitem uma combinação de sessões presenciais com trabalho autônomo, dado que criam um espaço de debate no qual se podem construir aprendizagens sem limitações de tempo nem de espaço. Além disso, o seu uso é indispensável na formação de tradutores, porque permite que o aluno desenvolva competências necessárias que o ajudarão a integrar-se no mercado de trabalho. Para o design, partimos de uma (semi)presencialidade de 35% das horas de trabalho do aluno e propomos uma progressão do ensino articulado em unidades didáticas. Em seguida, detalhamos os instrumentos tecnológicos que propomos, assim como os respectivos usos, e as ferramentas que possibilitam a recolha de informação para avaliar o design e poder aperfeiçoá-lo. Embora o design seja de uma disciplina de tradução técnico-científica do português ao espanhol, pode ser extrapolado a qualquer especialização e combinação linguísticas.

Palavras-chave


semipresencialidade, tradução, ensino da tradução, tradução técnico-científica, design curricular

Texto completo:

PDFA


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7968.2011v1n27p95



Cadernos de Tradução, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 2175-7968.