Experiências emocionais de estudantes de graduação como motivação para se tornarem professores de Física

Autores

  • José Francisco Custódio Departamento de Física – UFSC
  • Maurício Pietrocola Departamento de Metodologia do Ensino e Educação Comparada – USP
  • Frederico Firmo de Souza Cruz Departamento de Física – UFSC

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7941.2013v30n1p25

Resumo

Há, recentemente, na Educação Científica um crescimento da consciência coletiva sobre a influência dos aspectos afetivos na atividade intelectual dos indivíduos, em particular, na aprendizagem e na tomada de decisões. Neste trabalho, investigamos a influência da dimensão afetiva na decisão de seguir a carreira de professor de Física em acadêmicos da Universidade do Estado de Santa Catarina e da Universidade de São Paulo. A pesquisa foi orientada pelas seguintes questões: (1) Qual a influência da dimensão afetiva na decisão de seguir a carreira de professor de Física? (2) Quais são as principais experiências emocionais que motivam a escolha da carreira de professor de Física?(3) Quais eventos originam essas experiências emocionais? Foram investigados, por intermédio de um questionário, 68 licenciandos em Física. Nossos resultados evidenciaram que as experiências emocionais positivas e do interesse dos acadêmicos pesquisados formaram parte importante de suas motivações para se tornarem professores de Física. Utilizamos o modelo atribuição-expectativa de Silvia (2006) para explicar como tais experiências momentâneas contribuíram para formação de interesses duradouros nos sujeitos pesquisados.

 

Biografia do Autor

José Francisco Custódio, Departamento de Física – UFSC

Maurício Pietrocola, Departamento de Metodologia do Ensino e Educação Comparada – USP

Frederico Firmo de Souza Cruz, Departamento de Física – UFSC

Downloads

Publicado

2013-04-15

Edição

Seção

Pesquisa em Ensino de Física