Historiografia e natureza da ciência na sala de aula

Autores

  • Thaís Cyrino de Mello Forato Departamento de Ciências Exatas e da Terra –UNIFESP Diadema – SP
  • Maurício Pietrocola Faculdade de Educação – USP Laboratório de Pesquisa em Ensino de Física São Paulo – SP
  • Roberto de Andrade Martins Instituto de Física Gleb Wataghin – Unicamp Campinas – SP

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7941.2011v28n1p27

Resumo

Este trabalho discute alguns desafios previstos na confluência de prescrições da historiografia, da epistemologia e da didática da ciência mediante seus respectivos referentes teóricos, para a construção dos saberes escolares voltados à escola básica.  Discute-se, inicialmente, a escolha do tipo de abordagem da natureza da ciência visando propiciar os benefícios pedagógicos para a formação dos professores e estudantes propostos pela literatura educacional. Apresenta-se, a seguir, os requisitos da historiografia atual destacando as distorções históricas mais corriqueiras, bem como os processos de construção dos saberes escolares postos pela transposição didática. Finalmente, discute-se a análise teórica que confrontou essas distintas exigências apontando alguns obstáculos a serem enfrentados para o uso de conteúdos histórico-epistemológicos na educação científica. Permeando o estudo, defende-se que evitar o uso da pseudo-história, ou mesmo possuir certa fundamentação teórica para problematizá-la, representa, prioritariamente, um compromisso com a formação do aluno.

Downloads

Publicado

2011-01-01

Edição

Seção

Pesquisa em Ensino de Física