Historiografia e natureza da ciência na sala de aula

Autores

  • Thaís Cyrino de Mello Forato Departamento de Ciências Exatas e da Terra –UNIFESP Diadema – SP
  • Maurício Pietrocola Faculdade de Educação – USP Laboratório de Pesquisa em Ensino de Física São Paulo – SP
  • Roberto de Andrade Martins Instituto de Física Gleb Wataghin – Unicamp Campinas – SP

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7941.2011v28n1p27

Palavras-chave:

Natureza da ciência, História da ciência, Historiografia da história da ciência, Obstáculos na construção de saberes escolares, Escola Básica

Resumo

Este trabalho discute alguns desafios previstos na confluência de prescrições da historiografia, da epistemologia e da didática da ciência mediante seus respectivos referentes teóricos, para a construção dos saberes escolares voltados à escola básica.  Discute-se, inicialmente, a escolha do tipo de abordagem da natureza da ciência visando propiciar os benefícios pedagógicos para a formação dos professores e estudantes propostos pela literatura educacional. Apresenta-se, a seguir, os requisitos da historiografia atual destacando as distorções históricas mais corriqueiras, bem como os processos de construção dos saberes escolares postos pela transposição didática. Finalmente, discute-se a análise teórica que confrontou essas distintas exigências apontando alguns obstáculos a serem enfrentados para o uso de conteúdos histórico-epistemológicos na educação científica. Permeando o estudo, defende-se que evitar o uso da pseudo-história, ou mesmo possuir certa fundamentação teórica para problematizá-la, representa, prioritariamente, um compromisso com a formação do aluno.

Downloads

Publicado

2011-01-01

Edição

Seção

Pesquisa em Ensino de Física