Modelagem Didático-científica: integrando atividades experimentais e o pro-cesso de modelagem científica no ensino de Física

Autores

  • Leonardo Albuquerque Heidemann Instituto de Física, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Ives Solano Araujo Instituto de Física, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Eliane Angela Veit Instituto de Física, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7941.2016v33n1p3

Palavras-chave:

Modelagem Científica, Atividades Experimentais, Modelagem Didático-científica

Resumo

A forma dissociada como teoria e prática são frequentemente tratadas no ensino de Física contribui para que os estudantes tenham dificuldades para utilizar os conhecimentos científicos para representar eventos reais, que não são idealizadas como os eventos abordados na maior parte dos problemas propostos nos livros-texto usuais. Entendendo que o domínio do processo de modelagem científica é fundamental para que os estudantes aprendam Ciências, aprendam sobre Ciências e aprendam a fazer Ciências, Brandão, Araujo e Veit se amparam na Teoria dos Campos Conceituais de Vergnaud e na concepção de modelagem científica de Bunge para propor um referencial teórico-metodológico para a modelagem no Ensino de Física intitulado de Modelagem Didático-Científica (MDC). Os autores defendem a tese de que o processo de modelagem científica pode ser considerado um campo conceitual subjacente aos campos conceituais específicos da Física. Para isso, eles explicitam conhecimentos associados com o enfrentamento de problemas que envolvem o uso, a exploração e a validação de versões didáticas de modelos científicos. No entanto, não é objetivo desse referencial esclarecer como conceitos especificamente relacionados com o processo de contrastação empírica se vinculam com os conceitos mais gerais relacionados com a modelagem científica. Para preencher tal lacuna, apresentamos neste artigo uma expansão desse aporte teórico-metodológico em que, com base nas concepções de Bunge sobre a contrastação de ideias científicas, inserimos o trabalho experimental no campo conceitual associado ao processo de modelagem didático-científica e derivamos invariantes operatórios de referência para esse campo conceitual. Por fim, exemplificamos seu uso para amparar o delineamento e a condução de atividades experimentais com enfoque no processo de modelagem científica e discutimos implicações para a pesquisa em ensino de Física.

Biografia do Autor

Leonardo Albuquerque Heidemann, Instituto de Física, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Ives Solano Araujo, Instituto de Física, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Eliane Angela Veit, Instituto de Física, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Downloads

Publicado

2016-04-25

Edição

Seção

Pesquisa em Ensino de Física