História e Filosofia das Ciências no contexto escolar pós-moderno: uma contribuição ao ensino de ciências a partir da hermenêutica filosófica de Gadamer

Autores

  • Deyvid José Souza Santos Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática da Universidade Federal de São Paulo
  • Thaís Cyrino de Mello Forato Universidade Federal de São Paulo
  • José Alves da Silva Universidade Federal de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7941.2021.e76100

Palavras-chave:

Hermenêutica, História e Filosofia das Ciências, Formação de Professores(as), Pós-Modernidade, Adolescência

Resumo

Com o objetivo de contribuir para o processo de formação de adolescentes nas nossas escolas, este artigo levanta algumas reflexões sobre possibilidades para a abordagem da História e Filosofia das Ciências no contexto escolar pós-moderno. Apresentamos a hermenêutica filosófica de Gadamer como um campo de estudos que pode auxiliar o diálogo entre esses temas, fundamentando a elaboração de propostas para o ensino de ciências. Nesse sentido, enfatizamos sua potencialidade para ajudar professoras e professores a lidarem com o problema do subjetivismo, com concepções relativistas ingênuas sobre as Ciências e para criticarem ou combaterem o negacionismo científico, visto que ela nos mostra que é possível entendermos o quanto a razão é fundamental nos processos de intelecção sobre o mundo natural, justamente quando levamos em conta os aspectos históricos e sociológicos que abarcam o nosso processo de compreensão. Dentro desse contexto, indicamos a necessidade de uma educação e formação de professores e professoras que ajude a lidar com os sentimentos, a formação do caráter, o desejo de autorrealização e com o exercício de uma ética da razão cordial, a qual inclua as exigências universais de justiça e os valores morais que inspiram uma sociedade autenticamente democrática, tal como é proposto pela filósofa espanhola Adela Cortina. Levando em conta a revisão bibliográfica realizada sobre esses temas, levantamos alguns questionamentos ao longo do artigo e no final apresentamos três argumentos que são indicativos da potencialidade da hermenêutica filosófica de Gadamer ajudar a implementar a História e Filosofia das Ciências no ensino de ciências. Do resultado da nossa reflexão, também percebemos o quanto os usos da História e Filosofia das Ciências na sala de aula podem tornar-se ainda mais relevantes e enriquecedores caso sejam levados em consideração aspectos de adolescência na pós-modernidade.

Biografia do Autor

Deyvid José Souza Santos, Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática da Universidade Federal de São Paulo

Licenciado em Física pelo Instituto de Física da Universidade de São Paulo (IFUSP), possui experiência como professor de Física, Matemática e Química. Atualmente está concluindo o Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática na Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) e trabalha como professor de Ciências da Natureza no Ensino Médio Técnico do SENAC.

 

 

Thaís Cyrino de Mello Forato, Universidade Federal de São Paulo

Bacharel e Licenciada em Física pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), Mestra em História da Ciência pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e Doutora em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP). Realizou Pós-doutorado no Instituto de Biociências da USP, junto ao Programa de pós-graduação Interunidades em Ensino de Ciências (USP). Professora e Pesquisadora junto ao Departamento de Ciências Exatas e da Terra, na Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP-DIADEMA, atuando no curso de Graduação em Ciências – Licenciatura em Física, Química, Biologia e Matemática. Coordenadora do Grupo História da Ciência na Educação Científica na UNIFESP. Atualmente é orientadora permanente no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática (PECMA), da UNIFESP, e orientadora pontual no Programa de Pós-Graduação Interunidades em Ensino de Ciências (PIEC) da USP. Desenvolve pesquisas envolvendo interfaces entre a História das Ciências, a Educação Científica, a Formação de Professores e a Divulgação da História das Ciências.

José Alves da Silva, Universidade Federal de São Paulo

É doutor em Educação pela Universidade de São Paulo (2008), mestre em Ensino de Ciências – Modalidade Física, pela Universidade de São Paulo (2002) e graduado em Licenciatura em Física pela Universidade de São Paulo (1998). Foi diretor-geral da DOT – Diretoria de Orientação Técnica da Secretaria Municipal de Educação da Cidade de São Paulo, consultor da Secretaria de Ensino Médio e Tecnológico do Ministério da Educação, autor da coleção de livros didáticos de Física do Projeto Escola e Cidadania (Editora do Brasil), consultor para o caderno de gestores da Secretaria Estadual de Educação de São Paulo, editor pleno de livros didáticos de Física e de Ciências e professor da rede pública municipal e estadual de São Paulo. Atualmente, pesquisa adolescência no contexto escolar, aliando-a com a discussão crítica da pós-modernidade na educação e é professor orientador do Programa de Pós Graduação em Ensino de Ciências e de Matemática da Unifesp-Diadema. Atua com formação continuada de professores, tendo prestado consultorias para diferentes instituições. É membro do Projeto Zero – Letramentos Científicos Múltiplos (grupo de pesquisa cadastrado no CNpq) e professor adjunto da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Campus Diadema.

E-mail: josealves.unifesp@gmail.com

Referências

ABADÍA, O. M. Hermeneutical contributions to the history of science: Gadamer on ‘presentism’. Studies in History and Philosophy of Science Part A, v. 42, n. 2, p. 372-380, 2011.

AMARAL, M. Encontros com professores de uma escola estadual do Ensino Médio – uma escuta em que a dimensão objetiva se vê alinhavada pela subjetividade dos autores. In: AMARAL, M. (Org.). Educação, psicanálise e direito: combinações possíveis para se pensar a adolescência na atualidade. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2006. 216p.

AMARAL, M. A estética transgressora do rap e do funk: em direção à reversão dialética da educação pública nas metrópoles brasileiras. In: AMARAL, M. G. T. do; SOUZA, M. C. C. C. de. Educação pública nas metrópoles brasileiras: impasses e novos desenlaces. Jundiaí: Paco Editorial; São Paulo: Edusp, 2011, p. 279-300.

ARIÈS, P. História social da criança e da família. 2. ed. Rio de Janeiro: LTC Editora, 1981. 224p.

BAGDONAS, A.; ZANETIC, J.; GURGEL, I. O maior erro de Einstein? Debatendo o papel dos erros na ciência através de um jogo didático sobre cosmologia. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 35, n. 1, p. 97-117, 2018.

BAUMAN, Z. O mal-estar da pós-modernidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998. 276p.

BOMBASSARO, L. C. As fronteiras da epistemologia: como se produz o conhecimento. Vozes, 1992. 144p.

BRAGA, M.; GUERRA, A.; REIS, J. C. A Física experimental numa perspectiva histórico-filosófica. In: PEDUZZI, L. O. Q.; MARTINS, A. F. P.; FERREIRA, J. M. H. (Orgs.). Temas de História e Filosofia da Ciência no Ensino. Natal: EDUFRN, 2012.

CALLIGARIS, C. A adolescência. São Paulo: Publifolha, 2000. 88p.

CALVINO, I. Por que ler os clássicos. 2. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2007. 277p.

CARVALHO, T. A.; REIS, J. C. Diálogos entre Ciência e Arte: Uma leitura a partir da obra de Remedios Varo para um Ensino sobre as Ciências. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 37, p. 173-196, 2020.

CASTRO, R. E.; TEIXEIRA, M. R. F. Visão pós-moderna da educação e os debates de educação em ciências. Revista Litterarius. Faculdade Palotina, v. 16, n. 02, 2017, p. 1-11.

CONDÉ, M. L. L. ‘Um papel para a história’: o problema da historicidade da ciência. Curitiba: Editora UFPR, 2017.

CORTINA, A; MARTÍNEZ, E. Ética. Tradução: Silvana Cobucci Leite. São Paulo: Ed.6 Loyola, 2015. 176p.

DUNKER, C. Narcisismo Digital. Reinvenção da intimidade: políticas do sofrimento cotidiano. São Paulo: Ubu Editora, 2017. 320p.

FERREIRA, G. K. Reflexões sobre a natureza da ciência: configurações e intenções na formação de professores de física, 2018. 357 p. Tese (Doutorado em Educação Científica e Tecnológica) – Universidade Federal de Santa Catarina.

FORATO, T. C. M. Isaac Newton and the hidden forces in Universal Gravitation: Delimiting na Approach for teacher Training. In: PRESTES, M. E. B.; SILVA, C. C. (Org.). Teaching Science with Context Historical, Philosophical, and Sociological Approaches. 1. ed. New York / Heidelberg: Springer, 2018. v. 1, p. 293-311.

FORATO, T. C. M.; PIETROCOLA, M.; MARTINS, R. A. Historiografia e natureza da ciência na sala de aula. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 28, n.1, p. 27-59, 2011.

FORATO, T. C. M.; BAGDONAS, A.; TESTONI, L. Episódios históricos e natureza das ciências na formação de professores. Enseñanza de las ciencias, v. extra, p. 3511-3516, 2017.

GADAMER, H. G. Verdade e Método I: Traços Fundamentais de uma hermenêutica filosófica. Petrópolis: Vozes, 2015. 631p.

GUTIERRA, B. C. C. Adolescência, psicanálise e educação: o mestre “possível” de adolescentes. São Paulo: Avercamp, 2003.

HERCULANO-HOUZEL, S. O Cérebro Adolescente: A neurociência da transformação da criança em adulto. Rio de Janeiro, 2013.

JARDIM, W.; GUERRA, A. O artigo República das Letras, Academias e Sociedades Científicas no século XVIII: a garrafa de Leiden e a ciência no ensino. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 34, p. 774-797, 2017.

KOYRÉ, A. Estudos de História do Pensamento Científico. Tradução e revisão técnica: Márcio Ramalho. 3. ed. Rio de Janeiro: Forense universitária, 2011. 434p.

LEIVISKÄ, A. Finitude, Fallibilism and Education towards Non-dogmatism: Gadamer’s hermeneutics in science education. Educational Philosophy and Theory, v. 45, n. 5, p. 516-530, 2013.

LIMA, I. P. C. Lise Meitner e a Fissão Nuclear: Caminhos para uma narrativa feminista. 2019. 181p. Tese (Doutorado em Ensino, Filosofia e História das Ciências) - Programa de Pós-Graduação em Ensino, Filosofia e História das Ciências, Universidade Federal da Bahia.

LIMA, J. F. L. A morte da Pedagogia? Os fundamentos modernos da educação escolar frente aos desafios da pós-modernidade numa perspectiva histórico-filosófica. Revista Diálogo Educacional, v. 19, n. 61, p. 844-861, jul. 2019.

LIPOVETSKY, G. A era do vazio: ensaios sobre o individualismo contemporâneo. Barueri: Manole, 2005.

MARTINS, A. F. P. Natureza da Ciência no ensino de ciências: uma proposta baseada em “temas” e “questões”. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 32, n. 3, p. 703-737, 2015.

MARTINS, R. A. Introdução: a história da ciência e seus usos na educação. In: SILVA, C. C. (Org.). Estudos de história e filosofia das ciências. Subsídios para aplicação no Ensino. São Paulo: Ed. Livraria da Física, 2006a. p. 3-21.

MOURA, B. A. O que é natureza da ciência e qual sua relação com a história e filosofia da ciência? Revista Brasileira de História da Ciência, v. 7, p. 32-46, 2014.

MOURA, C. B.; GUERRA, A. Reflexões sobre o processo de construção da ciência na disciplina de química: um estudo de caso a partir da história dos modelos atômicos. Revista Electrónica de Investigación em educación em ciencias, v. 11, n. 2, p. 64-77, dez. 2016.

NOVAIS, E. L. A crise de paradigmas na escola atual: uma escola moderna em um mundo pós-moderno. Cadernos da Educação Básica, v. 1, n. 2, p. 116-133, out. 2016.

OLIVEIRA, C. J. A relação entre os problemas internalizantes e externalizantes e o bem-estar psicológico na adolescência. 2018. 98p. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Secção de Psicologia Clínica e da Saúde, Núcleo de Psicoterapia Cognitiva-Comportamental e Integrativa, Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia.

OLIVEIRA; R. D. V. L.; QUEIROZ, G. R. P. C. Conteúdos Cordiais: Química Humanizada para uma Escola sem Mordaça. São Paulo: Livraria da Física, 2017. 128p.

OLIVEIRA, W. C.; DRUMMOND, J. M. H. F. Refletindo sobre desafios à inserção didática da História e Filosofia da Ciência em oficina de formação docente. Alexandria: Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, v. 8, n. 3, p. 151-179, 2015.

PEREIRA, A. C. A. O adolescente em desenvolvimento. São Paulo: Harbra, 2005. 160p.

PIRES, M. C. S. Justiça e cuidado em Adela Cortina: contornos da ética num mundo global. 2014. 360p. Tese (Doutorado) - Universidade de Évora, Évora, Portugal.

REALE, G.; ANTISERI, D. História da filosofia. VI. 1.ed. São Paulo: Paulus, 2008. 496p.

ROBILOTTA, M. O Cinza, O Branco e o Preto - da Relevância da História da Ciência no Ensino da Física. Caderno Catarinense de Ensino de Física, v. 5, n. especial, p. 7, 1987.

SANTIAGO, L. M.; MIRANDA, L. U. O conceito de tradição na hermenêutica filosófica de Gadamer. HYBRIS, Revista de Filosofía, v. 10, p. 43‐61, 2019.

SANTOS, M. C. Experimento e Matemática na Lei da Queda dos Corpos de Galileu Galilei. 2018. 130p. Dissertação (Mestrado) - Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, São Paulo.

SCHMIEDECKE, W. G.; PORTO, P. A. Uma abordagem da história da energia nuclear para a formação de professores de física. Revista Brasileira de História da Ciência, v. 7, n. 2, p. 232-241, 2014.

SILVA, J. A. Compromisso e paixão: o universal e o singular na boa escola pública. 2008. 386p. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo.

SILVA, J. A. As possíveis contribuições do ensino de ciências para a identidade do Ensino Fundamental II e para a tarefa de alfabetizar. Ciência & Educação, Bauru, v. 19, n. 4, p. 811-821, 2013.

SILVA, J. A. Formar professores na sociedade pós-industrial: as contribuições do conceito de projeto de vida e as especificidades da docência em ciências e matemática. In: SILVA J.; KLUTH, V. Aproximações e distanciamento no ensino de ciências e matemática: questões de identidade da área no âmbito filosófico e institucional. São Paulo: Porto de Ideias, 2013. 69-91p.

SILVA, J.; FORATO, T. As contribuições do subprojeto Pibid-Física para a formação inicial e continuada de professores tendo em vista a tarefa de educar o adolescente em tempos de sociedade pós-industrial. In: PRADO, J. Desafios da formação inicial do docente no contexto do Pibid: experiências de formação de professores nos arrabaldes das cidades de Diadema e Guarulhos (SP). Jundiaí: Paco Editorial, 2017. 97-136p.

SILVA, J.; STOCO, S. Pibid-Física e o Estágio Curricular Supervisionado: diálogo sobre gestão dos diferentes aspectos de sequência didática na formação inicial de professores. In: Pibid-Unifesp em diálogo: trajetórias e indagações sobre práticas de formação inicial de professores. Jundiaí: Paco Editorial, 2018. 13-50p.

SILVEIRA, F. L.; PEDUZZI, L. O. Q. Três episódios de descoberta científica: da caricatura empirista a uma outra história. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 23, n. 1, p. 26-52, abr. 2006.

SOUSA, R. S.; GALIAZZI, M. C. Traços da Hermenêutica Filosófica na Educação em Ciências: Possibilidades à Educação Química. Alexandria: Revista de Educação em Ciência e Tecnologia. Florianópolis, v. 10, n. 2, p. 279-304, 2017.

SOUSA, R. S.; GALIAZZI, M. C. A tradição de linguagem em Gadamer e o professor de química como tradutor-intérprete. ACTIO: Docência em Ciências, v. 3, n. 1, p. 268-285, 2018.

ZANETIC, J. Física e Arte: uma ponte entre duas culturas. Pro-Posições, v. 17, n. 1, p. 39-57, 2006.

Downloads

Publicado

2021-09-20

Edição

Seção

História, Filosofia e Sociologia da Ciência e Ensino de Ciências/Física