Migração, trabalho e escolarização de jovens em diferentes percursos escolares

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-795X.2020.e67115

Palavras-chave:

Migração, Trabalho, Escolarização

Resumo

O objetivo do trabalho é analisar a relação entre migração, trabalho e escolarização de jovens em diferentes percursos escolares. Observamos entre os jovens migrantes um percurso escolar irregular e sujeito a interrupções, dada a dificuldade de conciliar estudo e trabalho, as mudanças em meio ao período letivo, a rotatividade de escolas, as dificuldades de adaptação, entre outras. A pesquisa que sustenta as análises está sendo desenvolvida na cidade de Florianópolis, estado de Santa Catarina, local que tem recebido um grande fluxo de migrantes, especialmente de outros estados do país. A estratégia metodológica foi integrada por técnicas qualitativas e quantitativas de geração de dados, tais como questionários, grupos focais e análises de documentos em três espaços de pesquisa, nos quais abordamos a relação dos jovens migrantes com o trabalho e a escola: Escola de ensino médio regular -  pesquisa com estudantes que frequentam o ensino médio diurno e noturno; Universidade Federal de Santa Catarina - pesquisa com trabalhadores temporários da construção civil, os quais apresentam baixa escolarização e interromperam os estudos;  Núcleos de Educação de Jovens e Adultos - pesquisa com estudantes que buscam retomar o processo de escolarização. Conclui-se que a migração da classe trabalhadora é um fenômeno intrínseco aos processos de expropriação e exploração da sociedade moderna, que o percurso escolar dos jovens migrantes encontra-se determinado pelo trabalho e caracteriza-se pela permanente tensão entre expulsão e integração.

Biografia do Autor

Célia Regina Vendramini, Universidade Federal de Santa Catarina

Professora no Departamento de Estudos Especializados em Educação do Centro de Ciências da Educação. Atua no Programa de Pós-Graduação em Educação, na linha de pesquisa Trabalho, Educação e Política. Temas de pesquisa: migração e escolarização, movimentos sociais e educação, luta de classes.

Claudia Janet Cataño Hoyos, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutora em Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação da UFSC

Janaina Gulart Oliveira de Queiroz, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestre em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC

Larissa Livramento Pereira, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestra em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC

Referências

BATISTA, Natalia F.; CACCIAMALI, Maria C. Migração familiar, trabalho infantil e ciclo intergeracional da probreza no estado de São Paulo. Nova Economia, Belo Horizonte, v. 22, n. 3, p.1-9, 2012.

FERNANDES, Florestan. Educação e Sociedade no Brasil. São Paulo: Dominus/Edusp, 1966.

FERRARO, Alceu R. Diagnóstico da escolarização no Brasil. Revista Brasileira de Educação, n. 12, set./out./nov 1999.

FONTES, Virgínia. Formação dos Trabalhadores e luta de classes. Trabalho Necessário, n. 25/2016, Ano 14.

FORACCHI, Marialice. A juventude na sociedade moderna. São Paulo: Pioneira, 1977.

FROCHTENGARTEN, Fernando. Caminhando sobre fronteiras: o papel da educação na vida de adultos migrantes. São Paulo: Summus, 2009.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo demográfico 2010: Características da população e dos domicílios. Resultados do universo. Rio de Janeiro: IBGE, 2011.

KUENZER, Acácia Z. Pedagogia do Trabalho na acumulação flexível: os processos de inclusão excludente. Boletim técnico do SENAC, Rio de Janeiro, 2005, vol. 31, no 1, p. 32-38.

LEFEBVRE, Henri. O direito à cidade. Trad. de Rubens Eduardo Frias. São Paulo: Centauro, 2001.

LUCIANO, C. A. Entre o “cá e o lá”: Educação e trabalho na vida dos jovens migrantes do Alto Jequitinhonha, MG. Belo Horizonte, Dissertação (Programa de Pós- graduação em Educação) - UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS, 2013.

MARX, Karl. A chamada acumulação primitiva. In: O Capital. 22.ed. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 2008. Livro 1, Vol. 2, cap. XXIV.

MARX, Karl. A lei geral da acumulação capitalista. In: O Capital. 22.ed. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 2008a. Livro 1, Vol. 2, cap. XXIII.

MENEZES, Marilda A. Migrantes temporários em usinas de cana de açúcar: trabalho, família e relações com a localidade de origem. XIII WORLD CONGRESS OF RURAL SOCIOLOGY, Anais. Lisboa, Portugal, 2012.

MESQUITA, Shirley P.; RAMALHO, Hilton M. B. Migração e trabalho infantil no Brasil urbano. In: TEIXEIRA, Paulo E.; BRAGA, Antonio M.C.; BAENINGER, Rosana. (Orgs). Migrações: implicações passadas, presentes e futuras. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2012.

OLIVEIRA, Francisco. A produção dos homens: notas sobre a reprodução da população sob o capital. Estudos Cebrap. São Paulo, n. 16, p. 5-25, 1976.

RIBEIRO, Vitor Hugo. Os cassacos migrantes de Tamboara - PR: reflexos da modernização conservadora. Geografar - Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFPR, v. 11, p. 17-40, 2016.

RODRIGUES, Adriana M. M. Migração temporária e suas implicações na educação: O caso de Santa Margarida – Bela Vista do Paraíso (PR). Londrina, Dissertação (Mestrado em Geografia, Meio Ambiente e Desenvolvimento) - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA, 2009.

RUMMERT, Sonia M.; ALGEBAILE, Eveline; VENTURA, Jaqueline. Educação e formação humana no cenário de integração subalterna no capital-imperialismo. In: SILVA, M.M.; EVANGELISTA, Olinda; QUARTIERO, Elisa M. (Orgs.). Jovens, trabalho e educação: a conexão subalterna de formação para o capital. Campinas: Mercado de Letras, 2012.

SANTANA, Edinalva. Entre o trabalho e a escola: estudo com adolescentes que estudam e trabalham, filhos de trabalhadores rurais migrantes, residentes no município de Guariba/ São Paulo. Ribeirão Preto. 220 p Dissertação (Faculdade de Filosofia, Ciências e letras de Ribeirão Preto) - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO, 2015.

SASSEN, Saskya. Expulsões: brutalidade e complexidade na economia global. Trad. de Angélica Freitas. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz & Terra, 2016.

SILVA, Marcelo Saturnino. Trabalhadores-migrantes nos canaviais paulistas: sociabilidade, trabalho e formas de resistência. PB, Tese (Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais) - UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE, 2011.

SILVA, Maria Aparecida M. Destinos e trajetórias de camponeses migrantes. In: VIII ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDOS POPULACIONAIS. Anais. ABEP, 1992. v. 3. p.161-77.

SUCHODOLSKI, Bogdan. Teoria marxista da educação. Trad. de Maria Carlota Melo. Lisboa: Editorial Estampa, 1976. V.1.

THOMPSON, Edward P. A formação da classe operária inglesa. Trad de Denise Bottmann. 2.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

Downloads

Publicado

2020-08-25

Edição

Seção

Dossiê Migração e Educação