Identidade(s), cultura escolar e subjetividades: os fios que constituem o processo de socialização docente dos professores de Educação Física iniciantes na carreira docente

Jéssica Serafim Frasson, Elisandro Schultz Wittizorecki

Resumo


Este artigo tem como objetivo compreender os elementos que constituem o processo de socialização docente de professores de Educação Física iniciantes na carreira docente. Para tanto, foi realizada uma pesquisa etnográfica com dois professores de Educação Física, em duas escolas da Rede Municipal de Ensino de Porto Alegre/RS. Utilizamos como instrumentos de obtenção de informações o diário de campo e a entrevista semiestruturada. Neste estudo, compreendemos a socialização docente como um processo, constituída por uma tríade: identidades, cultura escolar e subjetividades. Compreendemos também que a socialização docente é um fenômeno complexo, não linear e que se constrói em momentos de individualização e em momentos de coletividade, de forma dialética. Estudar esse processo significou compreender os tempos e espaços de cada sujeito envolvido e, ainda, o seu meio social.


Palavras-chave


Socialização docente; Professor de educação física; Professor iniciante

Texto completo:

PDF/A

Referências


BALL, S. La micropolitica de la escuela: hacía una teoría de la organización escolar. Barcelona: Paidós, 1989.

BERGER, P. L.; LUCKMANN, T. A construção Social da Realidade: tratado de sociologia do conhecimento. 34 ed. Petrópolis, Vozes, 2012.

BORBA, J. C. B.; WITTIZORECKI, E. S.; BOSSLE, F. Micropolítica escolar e o trabalho docente em Educação Física: Os diferentes atores do cenário escolar, suas relações dispostas e alianças. Revista de Educação Horizontes. Dourados, n.2, p.59-77, jul/dez, 2013.

CONCEIÇÃO, V. J. S. da. A construção da identidade docente de professores de Educação Física no início da carreira: um estudo de caso etnográfico na rede municipal e ensino de Porto Alegre – RS. Tese (Doutorado) - Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, 2014.

CHARTIER, A. M. Escola, culturas e saberes. In: XAVIER, L.N.; CARVALHO, M. M. C.; MENDONÇA, A. V.; CUNHA, J. L. (Org.) Escola, culturas e saberes. Rio de Janeiro: FGV, 2005.

DUBAR, C. A Socialização. Construção das identidades sociais e profissionais. Porto: Porto Editora, 1996.

DUBAR, C. A Crise das identidades: a interpretação de uma mutação. São Paulo: EdUSP, 2005.

GEERTZ, C. “Uma descrição densa: por uma teoria interpretativa da cultura” In: A Interpretação das Culturas. Rio de Janeiro: Zahar, p. 03-24, 2008.

GONÇALVES, J. A. M. A Carreira dos Professores de Ensino Primário. In: NÓVOA, A. (Org). Vida de Professores. 2ª ed. Porto: Porto Editora, p. 141-169, 1995.

GUARNIERI, M.R. Tornando-se professor: o início na carreira docente e a consolidação da profissão. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Metodologia do Ensino, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 1996.

HARGREAVES, A. Os Professores em Tempos de Mudança: O Trabalho e a Cultura dos Professores na Idade Pós-moderna. Portugal: Mc Graw-Hill, 1998.

HARGREAVES, A. Contrived collegiality: The micropolitics of teacher collaboration. In J. Blase (Ed.), The politics of life in schools: Power, conflict, and cooperation, Newbury Park, CA: Sage. p. 46–72, 1995.

HUBERMAN, M. Ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, A (org.) Vida de Professores. 2ª ed. Porto: Porto Editora, p 31-61, 1995.

MAGNANI, J. G. C. Etnografia como prática e experiência. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, v. 15, n. 32, p. 129-156, jul./dez., 2009.

MARCELO GARCIA, C. Los comienzos en la docencia: um profesorado con buenos principios. Revista de currículum y formación del profesorado. v. 13, n. 1, p. 1-25, 2009.

MARCELO GARCIA, C. O professor iniciante, a prática pedagógica e o sentido da experiência. Formação Docente. v. 03, n. 03, p. 11-49, 2010.

PACHECO, J. A.; FLORES, M. A. Formação e avaliação de professores. Porto: Porto Editora, 1999.

PÉREZ GÓMEZ, A. A função e formação do professor/a no ensino para a compreensão: diferentes perspectivas. In: SACRISTÁN, J. Gimeno (Org.). Compreender e transformar o ensino. 4.ª ed. Rio Grande do Sul: ArtMed, 2000.

PÉREZ GÓMEZ, A. A cultura escolar na sociedade neoliberal. Porto Alegre, ARTMED, 2001.

VEENMAN, S. El proceso de llegar a ser profesor: un análisis de la formación inicial. In: VILLA, A. (Coord.). Perspectivas y problemas de la función docente. Madrid, p. 39-68, 1988.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8042.2019e54326



R. Motriviv., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSNe: 2175-8042.

Os textos publicados na Revista Motrivivência estão licenciados com uma Licença Creative Commons de atribuição não comercial compartilhar igual: CC BY-NC-SA