Educação e sensibilidade: o brincar e o se-movimentar da criança pequena na escola

Aguinaldo Cesar Surdi, Wanessa Cristina Maranhão de Freitas Rodrigues, Erika Janaina Santiago Moreira Freire, Elenor Kunz

Resumo


Este estudo teve como objetivo central investigar como o brincar e o se-movimentar são proporcionados no espaço escolar e de que maneira eles contribuem para a educação da sensibilidade da criança pequena. Foi desenvolvido um estudo de caso que envolveu duas escolas municipais da cidade de Capinzal, SC; uma localizada no interior do município e a outra na cidade. Foi selecionada uma turma de crianças entre 4 e 6 anos de idade em cada escola, que totalizaram 40 crianças. Constatou-se que o brincar e o se-movimentar nas escolas estudadas acontecem muitas vezes por intermédio do controle dos professores, sempre com o intuito de promover uma competição e de chegar a um resultado final. Portanto, nas escolas investigadas, o incentivo à construção de situações que possibilitem o desenvolvimento da sensibilidade recebe pouca importância, o que compromete significativamente a educação da sensibilidade dessas crianças e limita o poder de criação.


Palavras-chave


Brincar e se-movimentar; Sensibilidade; Criança; Escola

Texto completo:

PDF/A

Referências


BOSI, A. Reflexões sobre a Arte. 7ª ed. São Paulo: Ática, 2009.

DANTAS, M. Dança: o enigma do movimento. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 1999.

FREIRE, J. B. Por uma educação de corpo inteiro. In: HERMIDA, Jorge Fernando (Org.). Educação Física: conhecimento e saber escolar. João Pessoa: Editora Universitária da UFPB, 2009.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e terra, 1996.

GOMES DA SILVA, P. N.; A Corporeidade do movimento: Por uma análise existencial das práticas cosporais. In: HERMIDA, J. F.; ZOBOLI, F. Corporeidade e Educação (orgs.). Editora Universitária da UFPB. João Pessoa, 2012.

HONORÉ, C. Sob Pressão. Rio de Janeiro: Record, 2009.

KUNZ, E. Educação Física: ensino & mudanças. Ijuí: Unijuí, 2001.

KUNZ, E. O movimento humano como tema. Revista Kinein, UFSC, Florianópolis, v. 1, n. 1, dez. 2000.

KUNZ, E. Transformação didático-pedagógica do esporte. Ijuí: Unijuí, 1994.

MACHADO, M. M. Merleau-Ponty & a Educação. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2010.

MARQUES, D. A. P.; SURDI, A. C.; GRUNENNVALDT, J. T.; KUNZ,; Dança e expressividade: uma aproximação com a fenomenologia. Movimento, Porto Alegre, v. 19, n. 01, p.243-263, jan/mar de 2013.

MATURANA, H; VERDEN-ZOLLER, G. Amar e brincar: fundamentos esquecidos do humano do patriarcado á democracia. São Paulo: Palas Athena, 2004.

MERLEAU-PONTY, M. Fenomenologia da percepção. 2a ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

MERLEAU-PONTY, M. Fenomenologia da Percepção. Livraria Freitas Bastos, SP. 1ª edição em língua portuguesa. 1971.

MERLEAU-PONTY, M. Psicologia e pedagogia da criança. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

MERLEAU-PONTY, M. Merleau-Ponty na Sorbone: Resumo de cursos, Filosofia e Linguagem. Campinas: Papirus, 1990.

OAKLANDER, V. Descobrindo crianças: a abordagem gestáltica com crianças e adolescentes. 5ª. Ed. São Paulo: Summus, 1980.

PORPINO, K. O. Dança é educação: interfaces entre corporeidade e estética. Natal: Editora da UFRN, 2006.

SANTIN, S. Educação física: Temas pedagógicos. Porto Alegre, EST/ESEF, 1992.

SANTIN, S. O espaço do corpo nas pedagogias escolares. Rio Grande, RS, 2005. [Blog Internet] Consultado em 20/08/2013. Disponível em http://silvinosantin.wordpress.com/about/.

SANTIN, S. Ciência, Arte e Política Estudantil. Maringá, PR, 2001. [Blog Internet] Consultado em 25/09/2013. Disponível em http://silvinosantin.wordpress.com/about/.

SANTIN, S. Educação e Sensibilidade. Santa Maria, RS, 1997. [Blog Internet] Consultado em 10/06/2013. Disponível em http://silvinosantin.wordpress.com/about/.

SOARES, Carmen Lúcia (Org.). Corpo e História. 2. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2004. (Coleção Educação Contemporânea).

SURDI, A. C; KUNZ, E. A fenomenologia como fundamentação para o movimento humano signifi cativo. Movimento, Porto Alegre, v. 15, n. 02, p. 187-210, abril/junho, 2009.

STAVISKI, Gilmar; SURDI, Aguinaldo Cesar; KUNZ, Elenor. Sem tempo de ser criança: A pressa no contexto da educação de crianças e implicações nas aulas de educação física. Rev. Bras. Ciênc. Esporte, florianópolis, v. 35, n. 1, p. 113-128, jan./mar. 2013.

TREBELS, A. H. A concepção dialógica do movimento humano: Uma teoria do se-movimentar. In: KUNZ, Elenor, TREBELS, Andreas (Orgs.) Educação Física Crítico-Emancipatória. Íjuí: Editora Unijuí, 2006.

WINNICOTT, D. W. O brincar e a realidade. Rio de Janeiro: Imago, 1975.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8042.2019e58318



R. Motriviv., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSNe: 2175-8042.

Os textos publicados na Revista Motrivivência estão licenciados com uma Licença Creative Commons de atribuição não comercial compartilhar igual: CC BY-NC-SA