O brincar como construção racional nas aulas de Educação Física

Andrize Ramires Costa, Thais Emanuelle da Silva Barros, Elenor Kunz

Resumo


O foco principal deste ensaio é a criança, que sente um enorme prazer em “Se-Movimentar”. A base desse movimento reside na necessidade natural que ela tem para brincar. Ocorre que a sua tendência natural de “Se-Movimentar” e brincar rapidamente se transforma em atividade social e cultural pela própria apropriação de elementos da cultura e pela indução do meio onde nasce, ocasionada, em parte, pela imposição dos adultos a atividades aceitas e reconhecidas por eles. Finalizamos com a Educação Física, que geralmente não permite às crianças experiências próprias de movimento, brincadeiras e jogos, em favor de um movimento “correto”, pré-constituído, ou seja, criado por terceiros, para atender a compromissos futuros de desenvolvimento, permitindo, muitas vezes, uma das experiências mais alienantes e castradoras da liberdade e criatividade humana.


Palavras-chave


“Se-movimentar”; Crianças; Brincar; Movimento humano

Texto completo:

PDF/A

Referências


ADORNO, T. W. Educação após Auschwitz. In: Educação e Emancipação. 3ª Ed. São Paulo: Paz e Terra. 2003.

AGUIAR, L. Gestalt-terapia com crianças: teoria e prática. São Paulo: Livro Pleno, 2005.

BROUGÈRE, G. Brinquedo e Cultura. 2ª ed. São Paulo: Cortez, 1997.

COSTA, A. R. CRIANÇAS, o que elas querem e precisam do mundo, do adulto e delas mesmas? Dissertação de mestrado apresentada pela UFSC, Florianópolis, 2011.

HEIJ, P. Grondslagen van, verantwoordbewegingsonderwijs - Filosofischeempedagogischedoordenking van relationeelgefundeerdbewegingsonderwijs. Budel: damon 2006. (Tradução para o alemão: Andreas H. Trebels - Tradução para o português: ElenorKunz)

KUNZ, E. Percepção, sensibilidade e intuição para as possibilidades criativas no esporte.In: Stigger, M. P.; Lovisolo, H (Org.). Esporte de Rendimento e Esporte na Escola. Campinas: Autores Associados, 2009.

KUNZ, E. “Brincar e Se-Movimentar” tempos e espaços na vida da criança. Ijuí: UNIJUÌ, 2015.

MATURANA, Humberto. Amar e Brincar: fundamentos esquecidos do humano do patriarcado à democracia. Humberto Maturana e GerdaVerden-Zöller. São Paulo: Palas Athenas, 2004.

OAKLANDER, Violet. Descobrindo Crianças, a abordagem gestáltica com crianças e adolescentes.São Paulo: Summus editorial, 1980.

OAKLANDER, Violet.VerborgeneSchätzeheben: Wege in die innere Welt Von Kindern und Jugendlichen.Stuttgart: Konzepte der Humanwissenschaften, 2009. SARMENTO, M. J. As Culturas da Infância nas Encruzilhadas da 2.ª Modernidade. In M. J. Sarmento e A. B. Cerisara (orgs.). Crianças e Miúdos. Perspectivas Sociopedagógicas da Infância. Porto: ASA, 2004.

TAMBOER, J.W.J. Philosophie der Bewegungswissenschaften.Hannover: Afra, 1994. (tradução livre pelo ProfºElenorKunz)

TONUCCI, F. Quando as crianças dizem: Agora chega! Porto Alegre: Artmed, 2005.

TREBELS, A.H (1983)- Spielen und Bewegen na Gäreten.Reinbekbei Hamburg, rororo, 1983.

ZUR LIPPE, S. SinnenbewuBtsein: GrundlegungeineranthropologischenÄstheitik.Hamburg: rowohltsenzyklopädie, 1987.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8042.2018v30n53p196



R. Motriviv., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSNe: 2175-8042.

Os textos publicados na Revista Motrivivência estão licenciados com uma Licença Creative Commons de atribuição não comercial compartilhar igual: CC BY-NC-SA