Atividades aquáticas como direito de aprendizagem dos alunos na Educação Física escolar

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8042.2022.e83978

Resumo

Este artigo tem como objetivo principal descrever as decorrências do desenvolvimento de uma unidade de ensino sobre atividades aquáticas nas aulas de Educação Física, com uma turma do 8º ano do Ensino Fundamental de uma escola pública. Por meio de uma abordagem qualitativa, foi realizado um estudo de caso que utilizou avaliações escritas e entrevistas com os participantes após o desenvolvimento de dez aulas de atividades aquáticas contemplando conteúdos conceituais e procedimentais. Além de os resultados terem indicado notória ampliação do conhecimento dos alunos sobre atividades aquáticas, também houve mudança de percepção do corpo docente sobre o ensino desse conteúdo na escola. A professora regente e a diretora, que percebiam o tema como algo perigoso de tratar nas aulas de Educação Física, passaram a defender que todos os alunos deveriam vivenciar as atividades aquáticas nessa disciplina.

Biografia do Autor

Jean Cargnelutti Dalla Rosa, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUÍ

Graduado em Educação Física (Licenciatura e Bacharelado) pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (Unijuí).

Alex Branco Fraga, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Professor Associado da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança (ESEFID) e do Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano (PPGCMH) da UFRGS.

Robson Machado Borges, UNIJUÍ - Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul

Doutor em Ciências do Movimento Humano. Docente adjunto da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – Unijuí, atuando no curso de graduação em Educação Física e no Mestrado Profissional em Educação Física em Rede Nacional. É coordenador dos cursos de Educação Física (Licenciatura e Bacharelado) da Unijuí. 

Referências

ARENDT, Hannah. Entre o Passado e o Futuro. 5ª ed. São Paulo: Perspectiva. 2011.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BETTI, Mauro. Base Nacional Comum Curricular (BNCC) de Educação Física do Ensino Fundamental. “Ruim com Ela, Pior Sem Ela”. Blog do CEV. Bauru, São Paulo, v. 1, n. 05, 2017. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/317097841_Base_Nacional_Comum_Curricular_BNCC_de_Educacao_Fisica_do_Ensino_Fundamental_Ruim_com_Ela_Pior_Sem_Ela. Acesso em: 13 nov. 2021.

BORGES, Robson Machado. Estudar com professores: a formação continuada e o processo de mudança de concepção de ensino na Educação Física escolar. Curitiba: CRV, 2019. 206 p.

BRASIL. República Federativa do Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular: educação é a base. Brasília: Ministério da Educação, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_20dez_site.pdf. Acesso em: 18 nov. 2019.

BRASIL. República Federativa do. Parâmetros Curriculares Nacionais: educação física. Brasília: Secretaria de Educação Fundamental, 1998.

CAPES. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. 2018. Programa Residência Pedagógica. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/ultimas-noticias/211-218175739/55921-mec-lanca-politica-nacional-de-formacao-de-professores-com-80-mil-vagas-para-residencia-pedagogica-em-2018. Acesso em: 15 jan. 2020.

CARLAN, Paulo. Práticas Sistematizadas: a natação no curso de graduação em Educação Física. Ijuí: Ed. Unijuí, 2004.

CARLAN, Paulo; DÜRKS, Daniel Bardini. O Conteúdo “Atividades Aquáticas” na Educação Física escolar: limites e perspectivas. Revista Kinesis, v.36, n.3, p. 2–14, set-dez. 2018. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/kinesis/article/view/35788. Acesso em: 18 set. 2021.

CRUZ, Gesiel Carvalho. O acompanhamento do estágio supervisionado como possibilidade de mudança de concepção de ensino de professores de Educação Física: o estudo de um caso. 2020. 36 f. Trabalho de Conclusão de Curso - Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul. Ijuí/RS, 2020.

FLICK, Uwe. Introdução à metodologia da pesquisa: um guia para iniciantes. Porto Alegre: penso: 2013.

GASTÃO, Giulia Schauffert; GODOI, Marcos. Atividades aquáticas no Ensino Médio integrado do Instituto Federal de Mato Grosso. In: Kawashima, L. B.; Godoi, M.; Martins, E. (Org.). Educação Física no Ensino Médio integrado da rede federal: compartilhando experiências. Cuiabá: Ed. EdUFMT, 2021, p. 149-161.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4ª Ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GONZÁLEZ, Fernando Jaime et al. O abandono do trabalho docente em aulas de Educação Física: a invisibilidade do conhecimento disciplinar. Educación Física y Ciencia, vol. 15, nº 2, 2013. p. 1-16. Disponível em: https://memoria.fahce.unlp.edu.ar/art_revistas/pr.5974/pr.5974.pdf. Acesso em: 18 set. 2021.

GONZÁLEZ, Fernando Jaime; FRAGA, Alex Branco. Afazeres da Educação Física na escola: planejar, ensinar, partilhar. Erechim: Edelbra, 2012.

GONZÁLEZ, Fernando Jaime; FRAGA, Alex Branco. Educação Física. In: RIO GRANDE DO SUL/Secretaria de Estado da Educação/Departamento Pedagógico. Lições do Rio Grande: caderno do aluno/Secretaria de Estado da Educação. v. 2. Porto Alegre: SE/DP, 2009, p. 59-80.

MACEDO, Nathália de Paula et al. Natação: o cenário no ciclo I do Ensino Fundamental nas escolas particulares. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, v. 6, p. 111-123, 2007. Disponível em: https://www.mackenzie.br/fileadmin/OLD/47/Graduacao/CCBS/Cursos/Educacao_Fisica/REMEFE-6-1-2007/art08_edfis6n1.pdf. Acesso em: 18 set. 2021.

MAGGIO, Marcos Vessozi; BURCKARDT, Eduarda Virginia. Atividades aquáticas na Educação Física escolar: uma nova proposta metodológica no Centro de Educação Básica Francisco de Assis – EFA. (Apresentação de Trabalho/Seminário). Anais... Salão do conhecimento 2013. Disponível em: https://www.publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/salaoconhecimento/article/view/2354. Acessado em: 18 set. 2021.

PINTO, Natália Caroline. Atividades aquáticas como conteúdo da Educação Física em escolas da cidade de Teutônia/RS. 2016. 14 f. Monografia (Graduação), Centro Universitário Univates Curso de Educação Física/ Licenciatura, Lajeado, RS, 2016.

SILVA, Maurício Roberto; PIRES, Giovani de Lorenzi; PEREIRA, Rogério Santos. Editorial - A Base Nacional Comum Curricular da educação básica em tempos de neoconservadorismo e de “neoliberalismo que saiu do armário”; mas também de tempos de resistência: Fora Temer!!! Motrivivência, v. 28, n. 48, p. 07-14, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/motrivivencia/article/view/2175-8042.2016v28n48p7. Acesso em: 13 nov. 2021.

SOBRASA - SOCIEDADE BRASILEIRA DE SALVAMENTO AQUÁTICO. Afogamento–BoletimepidemiológiconoBrasilAno2017(anobasededados2015eoutros). 2017. Disponível em: http://www.sobrasa.org/afogamento-boletim-epidemiologico-no-brasil-ano-2017-ano-base-de-dados-2015-e-outros/. Acesso em: 18 set. 2021.

SZPILMAN, David. Afogamento: perfil epidemiológico no Brasil ano de 2010. Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático – Sobrasa. Jullho de 2012. Disponível em: http://www.sobrasa.org/biblioteca/obitos_2010/Perfil_afogamento_Brasil_2012.pdf. Acesso em: 18 set. 2021.

VALENÇA, Karolyne de Carvalho. A inclusão da natação como conteúdo nas aulas de educação física escolar. 2016. 31 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Educação Física) - Faculdade de Ciências da Educação e Saúde Centro Universitário de Brasília – UniCEUB, 2016.

YIN, Robert. Estudo de Caso. Planejamento e Métodos. Porto Alegre: Bookman. 2005.

Downloads

Publicado

2022-03-07

Edição

Seção

Artigos Originais