“Sem ilustração”: a incapacidade das populações rurais na profilaxia rural do Paraná (1916-1921)

Beatriz Anselmo Olinto

Resumo


http://dx.doi.org/10.5007/1984-9222.2012v4n8p102

No presente trabalho, a análise da atuação da Comissão de Profilaxia Rural no Paraná (1916-1919), é o ponto de partida para a reflexão sobre diferentes processos de deterioração identitárias das populações rurais daquele estado no período de 1916 a 1921. Em meio a projetos sanitários, colonizações, resistências, miséria, falta de recursos e parcerias, além da eclosão da pandemia de Gripe Espanhola em 1918, a Comissão elaborou um extenso relatório sobre suas atividades. Com base nesses dados e dialogando com outros documentos do período, busca-se perceber como foram articuladas e constantemente apropriadas concepções a respeito das populações do Brasil em horizontes de incapacidade, tanto civilizatória quanto de gestão autônoma de suas vidas. Também são problematizadas quais expectativas de futuro, classificações de grupo e intervenções, estatais ou não, foram legitimadas por esses discursos.


Palavras-chave


historia rural, identificações, doenças

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-9222.2012v4n8p102

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


R. Mund. do Trab. ISSN 1984-9222

http://www.periodicos.ufsc.br/public/site/images/deivison/latindex_112 http://www.periodicos.ufsc.br/public/site/images/deivison/pkp_120