Militantes e assessores - compromisso com as classes populares e resistência à ditadura

Autores

  • José Ricardo Ramalho Professor do Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia da UFRJ, e pesquisadores do CNPQ e da Faperj.
  • Neide Esterci Professoa do Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia da UFRJ, e pesquisadora do CNPQ e da Faperj.

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-9222.2014v6n11p79

Palavras-chave:

assessoria, formação política, educação popular, classe trabalhadora

Resumo

A partir de entrevistas com um conjunto de atores engajados em atividades de assessoria e formação política junto às classes populares, no período da Ditadura Civil-Militar brasileira, o texto pretende mostrar como eles se constituíram em um núcleo intelectualmente consistente de resistência, ao buscar uma conexão direta com trabalhadores e movimentos sociais, e aliar ao trabalho de assessoria, um perfil de boa formação profissional, opção política e postura militante. As trajetórias revelam forte ligação com setores progressistas das igrejas – católica e protestantes – e com organizações de assessoria não governamentais, voltadas para o trabalho de formação política.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Ricardo Ramalho, Professor do Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia da UFRJ, e pesquisadores do CNPQ e da Faperj.

Postgraduate Program in Sociology and Anthropology at the UFRJ and CNPq and FAPERJ researchers.

Downloads

Publicado

2014-08-14

Como Citar

RAMALHO, J. R.; ESTERCI, N. Militantes e assessores - compromisso com as classes populares e resistência à ditadura. Revista Mundos do Trabalho, Florianópolis, v. 6, n. 11, p. 79-90, 2014. DOI: 10.5007/1984-9222.2014v6n11p79. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/mundosdotrabalho/article/view/1984-9222.2014v6n11p79. Acesso em: 6 dez. 2021.