Ócio e arte para os operários durante o primeiro peronismo (1946-1955)

Autores

  • Yanina Andrea Leonardi CONICET Universidad de Buenos Aires

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-9222.2014v6n12p239

Palavras-chave:

lazer, operários,

Resumo

A educação, a recreação e a capacitação dos trabalhadores conformavam

núcleos centrais no planejamento cultural dos dois primeiros governos de Perón
(1946-1955), sendo complementos do objetivo da inserção social. Para isso, a partir
do Estado foi planificada uma serie de experiências concebidas no cruzamento
entre a arte e a política, que surgiam no campo de tensão entre a educação e o
entretenimento, entre a concretização de postulados pedagógicos e a recreação
dos trabalhadores. Em alguns casos, elas se encontravam a cargo dos sindicatos,
que funcionavam como agentes intermediários do Estado. Considerando esta
conjunção entre arte e lazer, propomos analisar a concepção de lazer

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Yanina Andrea Leonardi, CONICET Universidad de Buenos Aires

Investigadora de Carrera del CONICET y del Instituto de Historia del Arte Argentino y Latinoamericano de la Facultad de Filosofía y Letras de la Universidad de Buenos Aires.

Publicado

2014-12-30

Como Citar

LEONARDI, Y. A. Ócio e arte para os operários durante o primeiro peronismo (1946-1955). Revista Mundos do Trabalho, Florianópolis, v. 6, n. 12, p. 239-249, 2014. DOI: 10.5007/1984-9222.2014v6n12p239. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/mundosdotrabalho/article/view/1984-9222.2014v6n12p239. Acesso em: 17 out. 2021.