Trabalhadores indígenas mineiros no Cerro Rico de Potosí: perseguindo os rastros de suas práticas laborais (séculos XVI e XVII)

Autores

  • Paula Cecilia Zagalsky Universidad de Buenos Aires

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-9222.2014v6n12p55

Resumo

No contexto colonial americano dos séculos XVI e XVII, a mineração de metais preciosos constituiu um setor econômico chave da dominação europeia. O Cerro Rico de Potosí (atual Bolívia), um dos principais centros produtores de prata em nível mundial durante aquele período, a partir de 1573 se alimentou unicamente de mão de obra indígena, sob um regime que complementava o trabalho assalariado forçado (mita) e voluntário, e cujas normas de funcionamento tem sido lucidamente analisadas pela historiografia. Este trabalho busca perseguir os tênues rastros documentais das práticas laborais cotidianas dos trabalhadores indígenas mineiros em Potosí, que nem sempre estiveram em consonância com as normas legais. A análise contribui para dar visibilidade à plasticidade do mundo do trabalho indígena e mineiro potosino, que durante o longo século posterior ao estabelecimento da mita esteve longe de ser estático.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paula Cecilia Zagalsky, Universidad de Buenos Aires

Doctora en Historia por la Universidad de Buenos Aires (UBA, Argentina). Docente de la Carrera de Historia de la Facultad de Filosofía y Letras de la UBA. Fue becaria doctoral y posdoctoral del Consejo Nacional de Investigaciones Científicas y Técnicas (CONICET, Argentina) en el Instituto de Historia Argentina y Americana “Dr. Emilio Ravignani” y becaria posdoctoral de la Mairie de Paris,  IHEAL / CREDA, Sorbonne Nouvelle-Paris 3/CNRS. 

Publicado

2014-12-30

Como Citar

ZAGALSKY, . C. Trabalhadores indígenas mineiros no Cerro Rico de Potosí: perseguindo os rastros de suas práticas laborais (séculos XVI e XVII). Revista Mundos do Trabalho, Florianópolis, v. 6, n. 12, p. 55–82, 2014. DOI: 10.5007/1984-9222.2014v6n12p55. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/mundosdotrabalho/article/view/1984-9222.2014v6n12p55. Acesso em: 7 dez. 2022.