A etnografia na ciência da informação: um método para espaços virtuais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2019.e58685

Palavras-chave:

Etnografia, Pesquisa Etnográfica, Método Etnográfico, Ciberespaço, Ambientes virtuais

Resumo

Este artigo expõe um breve panorama do desenvolvimento da etnografia como método de pesquisa qualitativa em diferentes áreas sociais. Apresentam-se alguns conceitos da etnografia aplicada em ambientes virtuais, assim como as principais características que ela possui. Objetivo: Identificar a relevância e a aplicação da etnografia como abordagem metodológica na Ciência da Informação (CI) e em particular no ciberespaço. Método: Utiliza-se a pesquisa bibliográfica e documental para descrever os elementos principais da etnografia. Adicionalmente, por meio de busca do termo “etnografia” na Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações, identificou-se a produção de pesquisas da CI que usaram o método. Resultado: Do número de pesquisas recuperadas, só duas apresentavam uma combinação de métodos, incluindo a etnografia. A amostra denota uma escassa produção com abordagem etnográfica na área, particularmente em estudos do ciberespaço. Conclusões: A etnografia é um método que pode ser aplicado para diferentes ambientes virtuais e para entender processos culturais. Esses espaços são ambientes de interação social, que permitem desenvolver novas pesquisas para conhecer formas de colaboração e compartilhamento do conhecimento e da informação.

Biografia do Autor

Luis Carlos Pérez Martínez, Universidade Estadual de Londrina

Mestre em Ciência da Informação da Universidade Estadual de Londrina, Brasil. Graduado em Filologia e Comunicação pela Universidad Nacional Autónoma de Nicaragua (Unan-Managua), Nicarágua. Bolsista da Organização dos Estados Americanos (OEA) e Grupo Coimbra de Universidades Brasileras (GCUB). 

Adriana Rosecler Alcará, Universidade Estadual de Londrina

Doutora em Psicologia pela Universidade São Francisco (USF/Itatiba-SP). Professora na Universidade Estadual de Londrina (UEL). Atua nos Cursos de Graduação em Arquivologia e Biblioteconomia e no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PPGCI/UEL).

Silvana Drumond Monteiro, Universidade Estadual de Londrina

Doutora em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Brasil. Professora associada do Departamento de Ciência da Informação da Universidade Estadual de Londrina, Brasil. Pós-Doutora em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil. Líder do Grupo de Pesquisa CNPq Informação e Conhecimento no Ciberespaço. Pesquisadora Produtividade CNPq.

Referências

ANGROSINO, Michael V. Etnografia e observação participante. Tradução de José Fonseca. Porto Alegre: Artmed, 2009.

AUGÉ, Marc. Não lugares: introdução a uma antropologia da supermodernidade. 9. ed. Campinas: Papirus, 2012.

BELL, David. An introduction to cybercultures. London: Routledge, 2001.

BOELLSTORFF, Tom, et al. Ethnography and virtual worlds: a handbook of method. Princeton, CA: Princeton University Press, 2012.

BOYD, Danah. How can qualitative internet researchers define the boundaries of their project? A response to Christine Hine. In: MARKHAM, Annette N., BAYM, Nancy. Internet inquiry: conversations about method. Los Angeles: Sage, 2009. p. 26-32

DENZIN, Norman K.; LINCOLN, Yvonna S. The discipline and practice of qualitative research. In: ______ (Eds.). The Sage handbook of qualitative research. 2th ed. California: Sage, 2005. p 1-32.

EMERSON, Robert M; FRETZ, Rachael I; SHAW, Linda L. Writing ethnographic fieldnotes. 2th ed. Chicago, The University of Chicago Press, 2011.

FERREIRA, Rubens da Silva. Estudantes estrangeiros no Brasil: migrações, informação e produção de diferença. 2017. 291 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Escola de Comunicação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2017.

FETTERMAN, David M. Ethnography: step by step. 3th ed. Thousand Oaks, CA: Sage, 2010. 17 v.

FLICK, Uwe. Introdução à pesquisa qualitativa. Tradução Joice Elias Costa. 3.ed. Porto Alegre: Artemed, 2009.

FRAGOSO, Suely; RECUERO, Raquel; AMARAL, Adriana. Métodos de pesquisa para internet. Porto Alegre: Sulina, 2013.

HAMMERSLEY, Martyn. The dilemma of qualitative method: Herbert Blumer and the Chicago tradition. London: Routledge, 1989.

HAMMERSLEY, Martyn; ATKINSON, Paul. Ethnography: principles in practice. 2th ed. London: Routledge, 1995.

HINE, Christine. Virtual ethnography. London: Sage, 2000.

______. Connective ethnography for the exploration of e-science. Journal of Computer-Mediated Communication, v. 12, p. 618–634, 2007.

______. Ethnography for the internet: embedded, embodied and everyday. London: Bloomsbury, 2015.

______. How can qualitative Internet Researchers define the boundaries of their project? In: MARKHAM, Annette N., BAYM, Nancy. Internet inquiry: conversations about method. Los Angeles: Sage, 2009. p.1-20.

JEMIELNIAK, Dariusz. Common knowledge?: an ethnography of Wikipedia. Stanford, CA: Stanford University Press, 2014.

KHOO, Michael; ROZAKLIS, Lily; HALL, Catherine. A survey of the use of ethnographic methods in the study of libraries and library users. Library & Information Science Research, v. 34, p. 82-89, 2012.

KOZINETS, Robert. V. Netnography: doing ethnographic research online. California: SAGE, 2010. 221 p.

LANCLOS, Donna; ASHER, Andrew D. “Ethnographish”: The state of the ethnography in libraries. Weave Journal of Library Experience. v. 1, n. 5, 2016. Doi: http://dx.doi.org/10.3998/weave.12535642.0001.503

LÉVY, Pierre. A esfera semântica: computação, cognição, economia da informação. São Paulo: Annablume, 2014. 522p

______. O que é virtual? Tradução de Paulo Neves. São Paulo: Editora 34, 1996.

______. Cibercultura. Tradução de Carlos Irineu da Costa. 2. ed. São Paulo: Editora 34, 2000.

LIMA, Aline Poggi Lins de. Mídias sociais na web: uma análise da mídia De olho na CI na perspectiva da disseminação da informação. 2013. 121 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) - Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2013.

MACK, Natasha et al. Qualitative research methods: a data collector’s field guide. North Carolina: Family Health International, 2005. 137 p.

MONTEIRO, Silvana Drummond. Aspectos filosóficos do virtual e as obras simbólicas no ciberespaço. Ciência da Informação, Brasília, v. 33, n. 1, p. 108-116, abr. 2004.

______. O ciberespaço: o termo, a definição e o conceito. DataGramaZero: Revista de Ciência da Informação, v. 8, n. 3, p. 1-18, jun. 2007.

MOURA, Maria Aparecida. Netnografia: a realidade social sob o véu digital. In: ARAÚJO, Ronaldo Ferreira de (Org.). Estudos métricos da informação na web: atores, ações e dispositivos informacionais. Maceió: EDUFAL, 2015. p. 73-91.

POLIVANOV, Beatriz. Etnografia virtual, netnografia ou apenas etnografia? Implicações dos conceitos. Esferas, Brasília, v. 2, n. 3, jul./dez. 2013.

POPPER, Karl R. Conjeturas e refutações: o progresso do conhecimento científico. Brasília: Editora da UnB, 1980.

PURI, Anjali. The web of insights: the art and practice of webnography. International Journal of Market Research, London, v. 49, n. 3, p.387-408, 2007.

SANTOS, Sandra F. A ciência da informação e o aporte metodológico da netnografia. In: ARAÚJO, Ronaldo Ferreira de (Org.). Estudos Métricos da Informação na web: atores, ações e dispositivos informacionais. Maceió: EDUFAL, 2015, p. 93-108.

VIDICH, Arthur. J.; LYMAN, Stanford M. Qualitative methods: their history in Sociology and Anthropology. In: DENZIN, Norman K.; LINCOLN, Yvonna S (Eds.). The Sage handbook of qualitative research. Thousand Oaks, California: Sage, 2000. p. 23-59.

ZANINI, Débora. Etnografia em mídias sociais. In: SILVA, T.; STABILE, M. (Orgs.). Monitoramento e pesquisa em mídias sociais: metodologias, aplicações e inovações. São Paulo: Uva Limão, 2016. p. 163-185.

Downloads

Publicado

2019-09-09

Como Citar

Pérez Martínez, L. C., Alcará, A. R., & Monteiro, S. D. (2019). A etnografia na ciência da informação: um método para espaços virtuais. Encontros Bibli: Revista eletrônica De Biblioteconomia E Ciência Da informação, 24(56), 01-23. https://doi.org/10.5007/1518-2924.2019.e58685

Edição

Seção

Artigo