A etnografia na ciência da informação: um método para espaços virtuais

Luis Carlos Pérez Martínez, Adriana Rosecler Alcará, Silvana Drumond Monteiro

Resumo


Este artigo expõe um breve panorama do desenvolvimento da etnografia como método de pesquisa qualitativa em diferentes áreas sociais. Apresentam-se alguns conceitos da etnografia aplicada em ambientes virtuais, assim como as principais características que ela possui. Objetivo: Identificar a relevância e a aplicação da etnografia como abordagem metodológica na Ciência da Informação (CI) e em particular no ciberespaço. Método: Utiliza-se a pesquisa bibliográfica e documental para descrever os elementos principais da etnografia. Adicionalmente, por meio de busca do termo “etnografia” na Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações, identificou-se a produção de pesquisas da CI que usaram o método. Resultado: Do número de pesquisas recuperadas, só duas apresentavam uma combinação de métodos, incluindo a etnografia. A amostra denota uma escassa produção com abordagem etnográfica na área, particularmente em estudos do ciberespaço. Conclusões: A etnografia é um método que pode ser aplicado para diferentes ambientes virtuais e para entender processos culturais. Esses espaços são ambientes de interação social, que permitem desenvolver novas pesquisas para conhecer formas de colaboração e compartilhamento do conhecimento e da informação.


Palavras-chave


Etnografia; Pesquisa Etnográfica; Método Etnográfico; Ciberespaço; Ambientes virtuais

Texto completo:

Artigo PDF/A

Referências


ANGROSINO, Michael V. Etnografia e observação participante. Tradução de José Fonseca. Porto Alegre: Artmed, 2009.

AUGÉ, Marc. Não lugares: introdução a uma antropologia da supermodernidade. 9. ed. Campinas: Papirus, 2012.

BELL, David. An introduction to cybercultures. London: Routledge, 2001.

BOELLSTORFF, Tom, et al. Ethnography and virtual worlds: a handbook of method. Princeton, CA: Princeton University Press, 2012.

BOYD, Danah. How can qualitative internet researchers define the boundaries of their project? A response to Christine Hine. In: MARKHAM, Annette N., BAYM, Nancy. Internet inquiry: conversations about method. Los Angeles: Sage, 2009. p. 26-32

DENZIN, Norman K.; LINCOLN, Yvonna S. The discipline and practice of qualitative research. In: ______ (Eds.). The Sage handbook of qualitative research. 2th ed. California: Sage, 2005. p 1-32.

EMERSON, Robert M; FRETZ, Rachael I; SHAW, Linda L. Writing ethnographic fieldnotes. 2th ed. Chicago, The University of Chicago Press, 2011.

FERREIRA, Rubens da Silva. Estudantes estrangeiros no Brasil: migrações, informação e produção de diferença. 2017. 291 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Escola de Comunicação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2017.

FETTERMAN, David M. Ethnography: step by step. 3th ed. Thousand Oaks, CA: Sage, 2010. 17 v.

FLICK, Uwe. Introdução à pesquisa qualitativa. Tradução Joice Elias Costa. 3.ed. Porto Alegre: Artemed, 2009.

FRAGOSO, Suely; RECUERO, Raquel; AMARAL, Adriana. Métodos de pesquisa para internet. Porto Alegre: Sulina, 2013.

HAMMERSLEY, Martyn. The dilemma of qualitative method: Herbert Blumer and the Chicago tradition. London: Routledge, 1989.

HAMMERSLEY, Martyn; ATKINSON, Paul. Ethnography: principles in practice. 2th ed. London: Routledge, 1995.

HINE, Christine. Virtual ethnography. London: Sage, 2000.

______. Connective ethnography for the exploration of e-science. Journal of Computer-Mediated Communication, v. 12, p. 618–634, 2007.

______. Ethnography for the internet: embedded, embodied and everyday. London: Bloomsbury, 2015.

______. How can qualitative Internet Researchers define the boundaries of their project? In: MARKHAM, Annette N., BAYM, Nancy. Internet inquiry: conversations about method. Los Angeles: Sage, 2009. p.1-20.

JEMIELNIAK, Dariusz. Common knowledge?: an ethnography of Wikipedia. Stanford, CA: Stanford University Press, 2014.

KHOO, Michael; ROZAKLIS, Lily; HALL, Catherine. A survey of the use of ethnographic methods in the study of libraries and library users. Library & Information Science Research, v. 34, p. 82-89, 2012.

KOZINETS, Robert. V. Netnography: doing ethnographic research online. California: SAGE, 2010. 221 p.

LANCLOS, Donna; ASHER, Andrew D. “Ethnographish”: The state of the ethnography in libraries. Weave Journal of Library Experience. v. 1, n. 5, 2016. Doi: http://dx.doi.org/10.3998/weave.12535642.0001.503

LÉVY, Pierre. A esfera semântica: computação, cognição, economia da informação. São Paulo: Annablume, 2014. 522p

______. O que é virtual? Tradução de Paulo Neves. São Paulo: Editora 34, 1996.

______. Cibercultura. Tradução de Carlos Irineu da Costa. 2. ed. São Paulo: Editora 34, 2000.

LIMA, Aline Poggi Lins de. Mídias sociais na web: uma análise da mídia De olho na CI na perspectiva da disseminação da informação. 2013. 121 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) - Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2013.

MACK, Natasha et al. Qualitative research methods: a data collector’s field guide. North Carolina: Family Health International, 2005. 137 p.

MONTEIRO, Silvana Drummond. Aspectos filosóficos do virtual e as obras simbólicas no ciberespaço. Ciência da Informação, Brasília, v. 33, n. 1, p. 108-116, abr. 2004.

______. O ciberespaço: o termo, a definição e o conceito. DataGramaZero: Revista de Ciência da Informação, v. 8, n. 3, p. 1-18, jun. 2007.

MOURA, Maria Aparecida. Netnografia: a realidade social sob o véu digital. In: ARAÚJO, Ronaldo Ferreira de (Org.). Estudos métricos da informação na web: atores, ações e dispositivos informacionais. Maceió: EDUFAL, 2015. p. 73-91.

POLIVANOV, Beatriz. Etnografia virtual, netnografia ou apenas etnografia? Implicações dos conceitos. Esferas, Brasília, v. 2, n. 3, jul./dez. 2013.

POPPER, Karl R. Conjeturas e refutações: o progresso do conhecimento científico. Brasília: Editora da UnB, 1980.

PURI, Anjali. The web of insights: the art and practice of webnography. International Journal of Market Research, London, v. 49, n. 3, p.387-408, 2007.

SANTOS, Sandra F. A ciência da informação e o aporte metodológico da netnografia. In: ARAÚJO, Ronaldo Ferreira de (Org.). Estudos Métricos da Informação na web: atores, ações e dispositivos informacionais. Maceió: EDUFAL, 2015, p. 93-108.

VIDICH, Arthur. J.; LYMAN, Stanford M. Qualitative methods: their history in Sociology and Anthropology. In: DENZIN, Norman K.; LINCOLN, Yvonna S (Eds.). The Sage handbook of qualitative research. Thousand Oaks, California: Sage, 2000. p. 23-59.

ZANINI, Débora. Etnografia em mídias sociais. In: SILVA, T.; STABILE, M. (Orgs.). Monitoramento e pesquisa em mídias sociais: metodologias, aplicações e inovações. São Paulo: Uva Limão, 2016. p. 163-185.




DOI: https://doi.org/10.5007/1518-2924.2019.e58685



Direitos autorais 2019 Luis Carlos Pérez Martínez, Adriana Rosecler Alcará, Silvana Drumond Monteiro

Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1518-2924.

Conteúdos do periódico licenciados sob uma Licença Creative Commons 4.0 By  (mais informação)