Para além do Quarto Distrito: a territorialidade do movimento comunista em Porto Alegre (1918 a 1930)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-9222.2022.e87730

Palavras-chave:

Comunismo, Movimento operário, Territorialidade

Resumo

O presente artigo busca compreender os espaços de organização e mobilização dos militantes comunistas em Porto Alegre entre os anos de 1918 e 1930. A cidade de Porto Alegre foi um importante núcleo do movimento operário, onde foi criado um dos primeiros grupos comunistas do Brasil, a União Maximalista, em 1918. A atuação dos militantes criou uma territorialidade na capital gaúcha, com a ênfase da atuação do PCB em determinadas áreas da cidade, como o Quarto Distrito, região caracterizada pela presença do proletariado fabril. Essa situação muda a partir do final dos anos 1920, com a criação do Bloco Operário e Camponês, quando a ação militante se estendeu para várias regiões da cidade. Essa expansão da territorialidade comunista tem um fim abrupto nos primeiros meses de 1930, quando uma intensa repressão desarticula o movimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Frederico Duarte Bartz, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Doutor em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Técnico em assuntos educacionais na UFRGS.

Referências

AGUIAR, Airan Militistsky. Saudações de um Mundo Novo: o Clube de Cultura e o progressismo judaico em Porto Alegre. 2009. Dissertação (Mestrado em História) – Escola de Humanidades, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

BAÑALES, José Luis Oyón. Historia urbana y historia obrera: reflexiones sobre la vida obrera y su inscripción en el espacio urbano. Historia Contemporánea, Bilbao, p. 11-58, n. 24, 2002.

BARTZ, Frederico Duarte. Abílio de Nequete e sua atuação como liderança política durante a formação do movimento comunista brasileiro (1917-1924). Humanitas Hodie, Bogotá, v. 4, n. 2, p. 1-25, 2022.

BARTZ, Frederico Duarte. O Horizonte Vermelho: o impacto da Revolução no movimento operário do Rio Grande do Sul (1917-1920). Porto Alegre: Sulina, 2017.

BRANDÃO, Otávio. Otávio Brandão (depoimento de 1977). Rio de Janeiro: CPDOC, 1983.

DARSKI, Bárbara Beatriz Silveira. Indesejáveis e perniciosos à ordem pública: uma análise a partir do Rio Grande do Sul varguista (1928-1930). 2022. Dissertação (Mestrado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2022.

FORTES, Alexandre. Nós do Quarto Distrito: a classe trabalhadora porto-alegrense e a Era Vargas. Caxias do Sul: Educs; Rio de Janeiro: Garamond, 2004.

KAREPOVS, Dainis. A Esquerda e o Parlamento no Brasil: O Bloco Operário e Camponês (1924 - 1930). 2002. Tese (Doutorado em História) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.

KNIESTEDT, Friedrich. Memórias de um imigrante anarquista. Trad. e org. de René Gertz. Porto Alegre: EST Edições, 1989.

MARTINS, Marisângela Teresa Antunes. À esquerda de seu tempo: escritores e o Partido Comunista do Brasil. 2012. Tese (Doutorado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

MAUCH, Claudia. Dizendo-se autoridade: polícia e policiais em Porto Alegre, 1896-1928. 2011. Tese (Doutorado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

NUNES, Guilherme Machado. “A Lei de Férias no Brasil é um aleijão”: greves e outras disputas entre Estado, trabalhadores/as e burguesia industrial (1925-1935). 2016. Dissertação (Mestrado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016.

PAULA, Amir El Hakim. A relação entre o Estado e sindicato sob a perspectiva territorial. São Paulo: Editora da UNESP, 2015.

PEIXOTO, Artur Duarte. Da organização à Frente Única: a repercussão da ação política do Partido Comunista do Brasil no movimento operário gaúcho (1927-1930). 2006. Dissertação (Mestrado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006.

PELLIN, Roberto. Revelando a Tristeza. Porto Alegre: Edição do Autor, 1979.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. História da Indústria Sul-Rio-Grandense. Guaíba: Riocell, 1985.

PETERSEN, Sílvia Regina Ferraz. Anotações das “Memórias de Abílio de Nequete”. [s.d.]. 4 p. Datilografado.

PETERSEN, Sílvia Regina Ferraz. “Que a União Operária Seja Nossa Pátria!”: História das lutas dos operários gaúchos para construírem suas organizações. Porto Alegre: Editora da UFRGS; Santa Maria: Editora da UFSM, 2001.

REICHEL, Heloisa Jochims. A Indústria Têxtil do Rio Grande do Sul: 1910-1930. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1980.

ROSITO, Maria Irene Haas. O Pensamento Político de Abílio de Nequete. Trabalho da Disciplina de Ciência Política do Bacharelado de Ciências Sociais, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1972. 20 p. Datilografado.

SAVAGE, Mike. Espaço, redes e formação de classe. Revista Mundos do Trabalho, Florianópolis, v. 3, n. 5, p. 6-33, jan./jun. 2011.

SCHIMIDT, Benito Bisso. O Deus do Progresso: a difusão do cientificismo no movimento operário gaúcho da I República. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 21, n. 41, p. 113-123, 2001.

SILVA JR., Adhemar Lourenço. A Greve Geral de 1917 em Porto Alegre. Anos 90, Porto Alegre, n. 5, p. 183-205, jul. 1996.

STÉDILE, Miguel Enrique. Da Fábrica à Várzea: Clubes de Futebol Operário em Porto Alegre. Curitiba: Prismas, 2015.

VIEIRA, Daniele Machado. Territórios Negros em Porto Alegre/RS (1880-1970): Geografia histórica da presença negra no espaço urbano. 2017. (Dissertação de Mestrado) – Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2017.

Downloads

Publicado

2022-12-02

Como Citar

BARTZ, . D. Para além do Quarto Distrito: a territorialidade do movimento comunista em Porto Alegre (1918 a 1930). Revista Mundos do Trabalho, Florianópolis, v. 14, p. 1–21, 2022. DOI: 10.5007/1984-9222.2022.e87730. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/mundosdotrabalho/article/view/87730. Acesso em: 2 fev. 2023.

Edição

Seção

Dossiê: O PCB e os mundos do trabalho