Vozes Femininas nas Traduções Brasileiras do Drama Shakespeariano

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7968.2022.e80659

Resumo

O objetivo deste artigo é traçar o perfil de algumas tradutoras da poesia dramática shakespeariana para o português do Brasil, cujo marco inicial foi A megera domada em tradução de Berenice Xavier (1936). A perspectiva adotada insere-se na vertente da sociologia da tradução que se fundamenta nos conceitos de habitus, capital e campo de Pierre Bourdieu (1986, 1989, 1996) e na subárea dos Estudos da Tradução a que Andrew Chesterman (2009) se refere como Estudos do Tradutor. Considerando-se apenas traduções integrais a partir da língua inglesa e publicadas sob forma de livro, contam-se até o final de 2020 um total de 214 traduções brasileiras das 39 obras dramáticas de Shakespeare. Até o momento, 39 tradutores individuais, uma dupla e um coletivo assinaram traduções integrais de peças do cânone, grupo no qual se incluem apenas dez mulheres. Ao examinar conjuntamente dados biográficos, visões de tradução e comportamento tradutório dessas mulheres, levando em conta o contexto sociocultural em que se inseriam ou se inserem, pretendo ressaltar o seu legado, em uma possível contribuição para a historiografia da tradução literária no Brasil.  

Biografia do Autor

Marcia Amaral Peixoto Martins, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

Referências

Abreu, Luís Alberto de. “Processo colaborativo: relato e reflexão sobre uma experiência de criação.” Cadernos da escola livre de teatro de Santo André, v. 1, n. 0, 2003, pp. 33-41.

Buzelin, Hélène. “Sociology and Translation Studies.” In: Millán, C. e F. Bartrina (Eds.). The Routledge Handbook of Translation Studies. London: Routledge, 2013, pp. 186-200.

Bassnett, Susan. “Plays for Today.” Reflections on Translation. Bristol: Multilingual Matters, 2011(a), pp. 98-101.

Bassnett, Susan. “Women’s Work.” Reflections on Translation. Bristol: Multilingual Matters, 2011(b), pp. 94-97.

Belleza, Newton. “Introdução a Amansando Catarina.” In: Shakespeare, W. Amansando Catarina. Trad. Newton Belleza. Rio de Janeiro: Emebê, 1977, pp. 17-21.

Bottman, Denise. “Berenice Xavier.” Não gosto de plágio, 12 ago. 2015(a). Disponível em http://naogostodeplagio.blogspot.com/2015/08/berenice-xavier.html. Acesso em 8 fev. 2021.

Bottmann, Denise. “Berenice Xavier, um breve perfil.” InComunidade, ed. 62, nov. 2017(b). Disponível em: http://www.incomunidade.com/v62/art_bl.php?art=331. Acesso em 5 fev. 2021.

Bourdieu, Pierre. “The forms of capital.” In: Richardson, J. G. (Ed.). Handbook of Theory and Research for the Sociology of Education. New York: Greenwood Press, 1986(a), pp. 241-258.

Bourdieu, Pierre. O poder simbólico. Tradução de Fernando Tomaz. Lisboa: DIFEL, 1989(b).

Bourdieu, Pierre. As regras da arte. Gênese e estrutura do campo literário. Trad. de Maria Lucia Machado. São Paulo: Companhia das Letras, 1996(c).

Bourdieu, Pierre. “The politics of protest. An interview by Kevin Ovenden”. Socialist Review, n. 242, 2000(d), pp. 18-20. Disponível em: http://pubs.socialistreviewindex.org.uk/sr242/ovenden.htm. Acesso em 5 fev. 2021.

Braga, Carolina. “Piquenique reúne hoje (26) amantes da poesia e da literatura de William Shakespeare.” UAI (online), postado em 26 abr. 2016. Disponível em uai.com.br/app/noticia/e-mais/2016/04/26/noticia-e-mais,179317/piquenique-reune-hoje-26-amantes-da-poesia-e-da-literatura-de-willia.shtml. Acesso em: 6 fev. 2021.

Camati, Anna Stetgh. “O lugar da mulher na sociedade elisabetana – jaimesca e na criação poética de Shakespeare.” In: Leão, Liana de C. e Marlene Soares dos Santos (Orgs.). Shakespeare, sua época e sua obra. Curitiba: Editora Beatrice, 2008, pp. 133-145.

Chesterman, Andrew. “O nome e a natureza dos Estudos do Tradutor.” Trad. Patrícia Rodrigues Costa e Rodrigo D’Avila Braga Silva. Belas Infiéis, v. 3, n. 2, 2014(a), pp. 33-42.

Chesterman, Andrew. “The name and nature of Translator Studies” (2009). In: Chesterman, Andrew. Reflections on Translation Theory. Selected Papers 1993-2014. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins, 2017(b), pp. 323-329.

Gouanvic, Jean-Marc. “A Bourdieusian Theory of Translation, or the Coincidence of Practical Instances. Field, ‘Habitus’, Capital and ‘Illusio’”. In: Inghilleri, M. (Ed.) Bourdieu and the Sociology of Translation and Interpreting. The Translator, Special Issue. Manchester, UK: St. Jerome, 2005. pp. 147-166.

Guerini, Andréia, et al. “Um mapa dos tradutores literários no Brasil.” Dicionário de Tradutores Literários no Brasil. 2005. Disponível em: http://www.dicionariodetradutores.ufsc.br/pt/index.htm. Acesso em 6 fev. 2021.

Hanna, Sameh. Bourdieu in Translation Studies: the socio-cultural dynamics of Shakespeare translation in Egypt. New York: Routledge, 2016.

Heilbron, Johan. “Toward a Sociology of Translation: Book Translations as a Cultural World-System.” European Journal of Social Theory 2(4), 1999, pp. 429-44.

Heliodora, Barbara. “Introdução.” In: Shakespeare, W. Hamlet. Trad. Anna Amélia Carneiro de Mendonça. Rio de Janeiro, Agir, 1968(a), pp. 7-18.

Heliodora, Barbara. “Sobre Ricardo III.” In: Shakespeare, W. Ricardo III (trad. Anna Amélia Carneiro de Mendonça) e Henrique V (trad. Barbara Heliodora). Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1993(b), pp. 11-16.

Heliodora, Barbara. “Introdução à 3ª. edição.” In: Shakespeare, W. Hamlet. Trad. Anna Amélia de Queiroz Carneiro de Mendonça. Rio de Janeiro: Lacerda Editores, 2004(c), p. 25.

Heliodora, Barbara. “Barbara Heliodora – 91 anos, escritora e tradutora.” Rio de Janeiro, 2014. Mais 60, São Paulo, v. 25, n. 60, julho 2014(d), pp. 88-99.

Heliodora, Barbara. “My reasons for translating Shakespare / Meus motivos para traduzir Shakespeare.” In: Martins, M.A.P. e Andréia Guerini (Orgs.) Palavra de tradutor / The Translator's Word. Edição bilíngue. Florianópolis: EdUFSC, 2018(e), pp. 175-191.

Hermans, Theo. Translation in Systems, Manchester: St Jerome, 1999.

Holmes, J. “The Name and Nature of Translation Studies.” In: Holmes, J. Translated! Papers on Literary Translation and Translation Studies. Amsterdam: Rodopi, 1988, pp. 67-80

Lambert, José. “Interdisciplinaridade nos estudos da tradução.” Tradução de Yéo N’gana. In: Cadernos de Tradução, v. 37, n. 2. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, p. 246-260, mai-ago 2017. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/2175-7968.2017v37n2p246/34077. Acesso em: 05 nov. 2020.

Lefevere, André. Translation, rewriting and the manipulation of literary fame. New York: Routledge, 1992.

Martins, Marcia A.P. “Contribuições para uma história das teorias de tradução no Brasil.” In: Pereira, G. H. et al. (Orgs.) História da tradução no Brasil: teoria, recepção e cânone. Coleção Estudos da Tradução. Campinas: Pontes, 2020, v.10, p. 35-58

Monteiro, José Marciano. 10 lições sobre Bourdieu. Petrópolis, RJ: Vozes, 2018.

Pym, Anthony. Method in Translation History. London: Routledge, 2014.

Resende, Aimara da Cunha. “Traduções da Shakespeariana.” In: Shakespeare, W. Trabalhos de Amor Perdidos. Tradução, introdução e notas de Aimara da Cunha Resende. Belo Horizonte: Tessitura/CESh, 2006(a), ix-x.

Resende, Aimara da Cunha. “Introdução.” In: Shakespeare, W. Trabalhos de Amor Perdidos. Tradução, introdução e notas de Aimara da Cunha Resende. Belo Horizonte: Tessitura/CESh, 2006(b), xxiii-xxxiii.

Resende, Aimara da Cunha. Entrevista pessoal. 2 nov. 2020.

Simeoni, Daniel. “The Pivotal Status of the Translator’s Habitus.” Target 10(1), 1998, pp. 1-39.

Shakespeare, William. The Complete Works. Wells, Stanley e Gary Taylor (Eds). Oxford: Clarendon Press. Compact Edition, 1988.

Viégas-Faria, Beatriz. Entrevista concedida ao portal “Escolha seu Shakespeare”. 2008(a). Disponível em: http://www.dbd.puc-rio.br/shakespeare/pdfs/entrevistaBeatrizViegasFa.pdf. Acesso em 5 fev. 2021.

Viégas-Faria, Beatriz. “Confira entrevista com Beatriz Viégas-Faria, tradutora de Shakespeare”. L&PM Editores, 19 set. 2008(b). Disponível em https://www.lpm.com.br/site/default.asp?TroncoID=805133&SecaoID=816261&SubsecaoID=618848&Template=../artigosnoticias/user_exibir.asp&ID=719233. Acesso em 5 nov. 2020.

Viégas-Faria, Beatriz. Entrevista pessoal. 14 nov. 2020(c).

Wells, Stanley (Ed.) Shakespeare: A Bibliographical Guide. New Edition. New York: Oxford UP, 1990.

Downloads

Publicado

2022-05-03

Edição

Seção

Artigos