Uma Reflexão Inicial sobre o Processo de Tradução/Revisão de um Texto Produzido por uma pessoa Surda em Português Escrito

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7968.2021.e84521

Resumo

Neste artigo, discute-se o processo de tradução/revisão de textos de pessoas surdas, produzidos em português escrito como segunda língua, por profissionais tradutores e intérpretes de Libras-português (TILSP), por um lado, e, por outro, por revisores que não dominam a Libras. A questão foi proposta a partir da constatação empírica de que a tradução/revisão de textos escritos por pessoas surdas, muitas vezes, é solicitada aos TILSP, os quais costumam não se considerar devidamente habilitados para essa tarefa. Diante disso, considerou-se relevante analisar como se dá a atuação de TILSP e de revisores durante o processo de tradução/revisão dos textos de surdos. Para tanto, utilizam-se os dados de rastreamento ocular (eye tracking) decorrentes de um experimento-exploratório conduzido com esses dois grupos. O objetivo foi verificar qual grupo de profissionais despenderia maior esforço cognitivo, refletindo-se sobre as características da atividade e suas possíveis implicações para o profissional que a executa. Por fim, concluiu-se que a atividade, ao ser desempenhada pelos tradutores e intérpretes ou pelos revisores, assume uma natureza distinta e, por sua vez, implica demandas cognitivas e comportamentais diferentes.

Biografia do Autor

Christianne Câmara Lopes Albuquerque Miranda, Universidade Federal de Ouro Preto

Mestre em Educação pela Universidade Federal de Ouro Preto. Graduada em Letras Libras pela Universidade Federal de Santa Catarina e Graduada em Psicologia pela Universidade Federal de Minas Gerais. 

José Luiz Vila Real Gonçalves, Universidade Federal de Ouro Preto

Doutor em Linguística Aplicada pelo POSLIN-UFMG, professor associado 4 da UFOP, docente do POSLIN-UFMG e do POSLETRAS-UFOP

Carlos Henrique Rodrigues, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutor em Linguística Aplicada e Mestre em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais. Líder e pesquisador do InterTrads – Núcleo de Pesquisa em Interpretação e Tradução de Línguas de Sinais, professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução e da área de Tradução e Interpretação de Línguas de Sinais dos Cursos de Letras Libras da Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil.

Referências

Brasil. Decreto n. 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/decreto/d5626.htm. Acesso em: 16 out 2021.

Brasil. Lei n. 10.436, de 24 de abril de 2002. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/L10436.htm. Acesso em: 16 out 2021.

Brasil. Lei n. 12.319, de 1o de setembro de 2010. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2010/Lei/L12319.htm. Acesso em: 16 out 2021.

Carl, M.; Dragsted, B.; Elming, J.; Hardt, D.; Jakobsen, A. L. The Process of Post-Editing: a Pilot Study. In: Sharp et al (eds). Proceedings of the 8th International NLPCS Workshop. Copenhagen: Copenhagen Business School, 2011. p.131-142. Acesso em 25 de julho de 2016. Disponível em: http://mt-archive.info/NLPSC-2011-Carl-1.pdf.

Costa, D. A. F. Linguística e Surdez: Compreendendo a singularidade da produção escrita de sujeitos surdos. Rev. Psicopedagogia 2003; 20(62): 94-106.

Dragsted, B.; Hansen, I. G. Comprehension and production in translation: a pilot study on segmentation and the coordination of reading and writing processes. In: JAKOBSEN, A.; GOPFERICH, S., MEES, I. M. Looking at eyes: eye tracking studies of reading and translation processing. Samfundslitteratur, 2008, pp. 9-29.

Febrapils. Valores de referência, 2021. Disponível em: https://febrapils.org.br/valoresdereferencia/#S05. Acesso em: 16 out 2021.

Fernandes, S. É possível ser surdo em português? Língua de sinais e escrita: em busca de uma aproximação. In: SKLIAR, C. (org.). Atualidade da Educação Bilíngue para Surdos. 2ª ed. Porto Alegre: Mediação, 1999. 2v.

Fonseca, N. Pós-edição monolíngue: uma análise de indicadores de dispêndio de esforço temporal, técnico e cognitivo. Tese de Doutorado. Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte. 2016.

Grice, H. P. Logic and Conversation. In: Cole, Petter; MORGAN, Jerry L. Syntax and Semantics, Vol.3, Speech Acts. Academic Press. New York, 1975.

Gutt, E. A. Translation and relevance: cognition and context. London: Blackwell, 1991.

Holmes, J. S. The Name and Nature of Translation Studies. In: VENUTI, L. The Translation studies reader. Routledge, 2000, pp. 172-185.

Jakobsen, A. L.; Schou, L. Translog documentation, version 1.0. In: HANSEN, G. (Ed.). Probing the Process of Translation: methods and results. Copenhagen: Samfundslitteratur, 1999, pp.1-36.

Jääskeläinen, R. Think-aloud Protocols. In: BAKER, M. Routledge encyclopedia of translation studies. New York: Routledge, 1998, pp. 265-269.

Koglin, A. Os Efeitos cognitivos e esforço de processamento de metáforas em tarefas de pós-edição e de tradução humana: uma investigação processual à luz da Teoria da Relevância. Tese de Doutorado. Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte. 2015.

Miranda, C. Reflexões sobre a escrita de pessoas surdas em língua portuguesa como uma interlíngua. In: DESLANDES, K. Reverberações: sobre formação docente e alteridades. Belo Horizonte: Editora Fino Trato, 2017, pp. 95-105.

Rodrigues, C. H. Tradução e Língua de Sinais: a modalidade gestual-visual em destaque. Cadernos de Tradução, v. 38 (2018): 294-319.

Rodrigues, C. H. O corpo de disciplinas de tradução na formação de tradutores e intérpretes de língua de sinais no Brasil. Revista Belas Infiéis, v. 8, (2019): 147-164.

Romeiro, S. A. L. V.; Oliveira, I. N. De; Silvério, C. C. P. O trabalho do tradutor e intérprete de libras-português nas universidades federais brasileiras. Anais do IV Congresso Nacional de Pesquisas em Tradução e Interpretação de Libras e Língua Portuguesa. Florianópolis, 2014.

Sant’ana, R. M. T.; Gonçalves, J. L. V. R. Reflexões acerca das práticas de tradução e revisão de textos e de parâmetros para a formação de tradutores e revisores. SCRIPTA, Belo Horizonte, v. 14, n. 26, 1o sem. (2010): 225-234.

Santos, F. M. A. dos. Marcas da LIBRAS e indícios de uma interlíngua na escrita de surdos em Língua Portuguesa. 254 f. il. 2009, Dissertação (Mestrado) – Instituto de Letras, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2009.

Shannon, C.; Weaver, W. The mathematical theory of communication. Urbana: University of Illinois Press, 1949.

Sjørup, A. C. Metaphor comprehension in translation: methodological issues in a pilot study. In: JAKOBSEN, A.; GOPFERICH, S., MEES, I. M. Looking at eyes: eye tracking studies of reading and translation processing. Samfundslitteratur, 2008. p. 53-77.

Sperber, D.; Wilson, D. Relevância: Comunicação e Cognição. Trad.: ALVES, Helen Santos. Editora: Fundação CalousteGulbenkian. Lisboa. 2001.

Sperber, D.; Wilson, D. Teoria da Relevância. Revista Linguagem em (Dis)curso - LemD. Tubarão, v. 5, n. esp., 2005, pp. 221-268.

Venuti, L. The translator’s invisibility: A history of translation. New York: Routledge, 1995.

Downloads

Publicado

2021-12-24