Uma sequência didática para discutir as relações étnico-raciais (Leis 10.639/03 e 11.645/08) na educação científica

Autores

  • Alan Alves Brito Instituto de Física, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Vitor Bootz Bacharelando em Astrofísica, UFRGS
  • Neusa Teresinha Massoni Instituto de Física, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7941.2018v35n3p917

Palavras-chave:

Ensino de Ciências, Física e Astronomia, Diálogo Intercultural, Relações Étnico-raciais

Resumo

Um dos grandes desafios da Educação Básica do Brasil do século XXI é a implementação das Leis 10.639/03 e 11.645/08, as quais tornam obrigatória a inclusão do ensino da História da África, da Cultura Afro-Brasileira e Indígena, nos currículos dos estabelecimentos de ensino do País, na luta por uma sociedade mais igualitária. No entanto, do ponto de vista prático, o debate atual em torno dessas Leis bem como das práticas pedagógicas e didáticas desenvolvidas nas escolas estão quase que exclusivamente restritas às iniciativas feitas no contexto de disciplinas das Ciências Humanas e Sociais. Ancorado em referenciais teóricos da Astronomia Cultural e da Pedagogia Dialógica de Paulo Freire, o presente trabalho apresenta uma Sequência Didática diversificada com o objetivo de permitir, nas aulas de Ciências/Física da Educação Básica, embora ela possa também ser aplicada no Ensino Superior, uma ampla discussão acerca dos pressupostos históricos, culturais e científicos do céu Africano, Indígena e do assim denominado céu Ocidental. Tomando as constelações em variadas culturas como ponto de partida, o presente trabalho soma-se às iniciativas que buscam articular a garantia de direitos humanos e sociais e o respeito à diversidade étnico-racial. Trata-se, assim, de um exemplo simples, por meio de um objeto virtual de aprendizagem e de um material didático construído em sala, de como aulas de Ciências/Física podem contribuir nos Ensinos Fundamental e Médio, com uma educação mais crítica, antidiscriminatória, antirracista, emancipatória e diversa, levando em conta as diferentes alteridades, ou seja, o “outro”.

Biografia do Autor

Alan Alves Brito, Instituto de Física, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Bacharel em Física pela Universidade Estadual de Feira de Santana (2002), Mestre (2004) e Doutor (2008) em Ciências (Astrofísica Estelar) pelo Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da USP, com pós-doutorados no Chile e na Austrália. Atualmente é Professor Adjunto no Instituto de Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, onde desenvolve atividades de ensino, pesquisa, extensão e gestão. Tem realizado trabalhos na área de Astrofísica Estelar, interessado, principalmente, nos estudos da evolução química de diferentes populações estelares da Via Láctea, e em temas relacionados à Educação em Astronomia e Divulgação da Ciência.

Vitor Bootz, Bacharelando em Astrofísica, UFRGS

Bacharelando em Astrofísica da UFRGS, ex bolsista do projeto Segundas Astronômicas e do Programa de Iniciação Científica "Ciência na Escola, Ciência na Sociedade" da PROPESQ/UFRGS.

Neusa Teresinha Massoni, Instituto de Física, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Licenciada (2000), Mestra em Física (2005) e Doutora em Ciências (2010) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, com ênfase na área de Ensino de Física; atualmente é Professora Adjunta da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física do Instituto de Física da UFRGS.

Downloads

Publicado

2018-12-18

Edição

Seção

Relatos e propostas de experiências didáticas