Territorialização e trabalho: atuação dos aldeados de Ferradas no processo de ocupação e exploração territorial, no Sul da Bahia (século XIX)

Autores

  • Ayalla Oliveira Silva Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-9222.2014v6n12p131

Resumo

Em início do século XIX, contexto em que se observa o crescente interesse

pela expansão das áreas interioranas do Brasil colonial e posteriormente imperial, a
política indigenista foi aplicada, no Sul da Bahia, com vistas a atender as demandas
governamentais acerca do trabalho indígena e de suas terras. Nesse escopo, o
aldeamento São Pedro de Alcântara, instalado em Ferradas em 1814, configurou-se
como importante celeiro de mão de obra indígena para os trabalhos de abertura
e conservação da estrada Ilhéus-Vitória. Os aldeados atuavam ainda nas fazendas
do entorno do aldeamento, com especial atenção para o seu trabalho na incipiente
lavoura do cacau. A partir do tratamento de diversas fontes, especialmente, as
correspondências trocadas entre autoridades locais e provinciais, o objetivo deste
artigo é perceber como se dava a atuação dos homens e mulheres territorializados
nas demandas acerca da organização do trabalho, na região Sul da Bahia, durante
o Oitocentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ayalla Oliveira Silva, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Atua na área de História Indígena (Império)

Downloads

Publicado

2014-12-30

Como Citar

OLIVEIRA SILVA, A. Territorialização e trabalho: atuação dos aldeados de Ferradas no processo de ocupação e exploração territorial, no Sul da Bahia (século XIX). Revista Mundos do Trabalho, Florianópolis, v. 6, n. 12, p. 131-152, 2014. DOI: 10.5007/1984-9222.2014v6n12p131. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/mundosdotrabalho/article/view/1984-9222.2014v6n12p131. Acesso em: 7 ago. 2022.