Problemas do movimento operário rural na zona do “oro verde” argentino: a expansão da soja, o regime de contratação e a ausência de conflitos proletários entre 1970 e 2010

Autores

  • Juan Manuel Villulla Centro Interdisciplinario de Estudios Agrarios, Universidad de Buenos Aires

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-9222.2014v6n12p251

Palavras-chave:

Operários agrícolas, Organização do trabalho, Dispersão sindical

Resumo

No contexto da expansão agrícola argentina iniciada na década de 1970 os trabalhadores rurais da zona dos pampas consolidaram seu papel como os principais produtores diretos das riquezas deste setor da economia nacional. Apesar de sua posição estratégica e das difíceis condições de trabalho que eles atravessaram no período, não se registrou uma ação coletiva protagonizada e dirigida por este setor de assalariados em função de seus próprios interesses como coletivo específico de trabalhadores. Este artigo aborda dois aspectos que contribuem para explicar a ausência de manifestações sindicais ou políticas encabeçadas por eles. Em primeiro lugar, a organização social do trabalho predominante desde a década de 1970, que contribuiu para desarticular objetiva e subjetivamente o proletariado agrícola como fração de classe; em segundo lugar, a ausência de uma vontade política capaz de transcender as dificuldades estruturais para reunir os trabalhadores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juan Manuel Villulla, Centro Interdisciplinario de Estudios Agrarios, Universidad de Buenos Aires

Sociólogo, Doctor en Historia (UBA), Investigador del Centro Interdisciplinario de Estudios Agrarios de la Facultad de Ciencias Económicas, y Profesor Adjunto de Historia Económica y Social Argentina en la misma unidad académica.

Publicado

2014-12-30

Como Citar

VILLULLA, J. M. Problemas do movimento operário rural na zona do “oro verde” argentino: a expansão da soja, o regime de contratação e a ausência de conflitos proletários entre 1970 e 2010. Revista Mundos do Trabalho, Florianópolis, v. 6, n. 12, p. 251-272, 2014. DOI: 10.5007/1984-9222.2014v6n12p251. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/mundosdotrabalho/article/view/1984-9222.2014v6n12p251. Acesso em: 3 dez. 2021.