Cozinhas Solidárias do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST): Solidariedade e reconstrução da esfera pública (2021-2022)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-9222.2023.e92392

Palavras-chave:

Cozinhas Solidárias, Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, Soberania Alimentar

Resumo

Este artigo analisa, a partir de dados de observação em campo e entrevistas, o desenvolvimento e o papel das Cozinhas Solidárias do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) entre os anos de 2021 e 2022, período marcado pelo retorno do Brasil ao Mapa da Fome e pelo processo de ampliação da parcela de trabalhadores em condição de pobreza. A partir da Cozinha Solidária da Lapa, no Rio de Janeiro, o desenvolvimento das Cozinhas Solidárias é analisado em relação ao processo de arrefecimento da esfera pública, orientado pelas reformas nos programas e políticas sociais da primeira década dos anos 2000 e agravado pelo processo de erosão democrática aberto a partir dos anos de 2015 e 2016. A partir da caracterização do projeto das Cozinhas Solidárias e seu desenvolvimento, espera-se indicar formas pelas quais a temática da “fome” tomou o cenário público, de modo diferente do que ocorreu no início dos anos 2000 e nos anos de 1990, conferindo coesão a reorganização às mobilizações populares. Nota-se que a articulação das Cozinhas Solidárias, de forma conectada a um projeto de sociedade derivado de um movimento social organizado, intenciona questionar as formas de combate à fome e à pobreza que não alteram a organização das relações sociais, através de ações de mobilização popular pautada pela solidariedade social com o objetivo de reconstrução da esfera pública como espaço de fazer política, provocando inflexões para o desenvolvimento de políticas sociais de Segurança Alimentar e Nutricional e Soberania Alimentar. 

Biografia do Autor

Denise De Sordi, FIOCRUZ; FFLCH/Cenedic/USP

Pesquisadora do programa de Pós-Doutorado do Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH)/USP, Centro de Estudos dos Direitos da Cidadania (Cenedic), São Paulo (SP), Brasil. Pesquisadora do projeto “Cozinhas Solidárias: dos alimentos aos Direitos de Cidadania”, alocado na Vice-Presidência de Ambiente, Atenção e Promoção da Saúde (VPAAPS)/Fiocruz, Rio de Janeiro (RJ), Brasil.

Referências

ANDERSON, Perry. Brazil Apart. London: Verso Books, 2019.

ANGELIM, Daniel M.; CALDAS, Eduardo de Lima. El Movimiento de Trabajadores Sin Techo, seguridad alimentaria y el derecho a la alimentación. In: CALDAS, Eduardo de Lima (org.). Comida y comunidad. Ciudad Autónoma de Buenos Aires: CLACSO, 2021.

BOULOS, Guilherme. Por que ocupamos? Uma introdução à luta dos sem-teto. São Paulo: Scortecci, 2012.

BOULOS, Guilherme. De que lado você está? reflexões sobre a conjuntura política e urbana do Brasil. São Paulo: Boitempo, 2015.

BRAGA, Ruy. A política do precariado: do populismo à hegemonia lulista. São Paulo: Boitempo; USP – Programa de Pós-Graduação em Sociologia, 2012.

BRAGA, Ruy. Terra em transe: o fim do lulismo e o retorno da luta de classes. In: SINGER, André; LOUREIRO, Isabel (org.). As contradições do lulismo: a que ponto chegamos? São Paulo: Boitempo, 2016.

BRAGA, Ruy. Um padrão ‘thompsoniano’ de agitações trabalhistas? Movimentos sociais e rebeliões no Sul global. Revista Mundos do Trabalho, Florianópolis, v. 12, p. 1-18, 2020.

BRASIL. Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional – CONSEA. Princípios e Diretrizes de uma Política de Segurança Alimentar e Nutricional, Textos de Referência da II Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Brasília, IPEA: julho de 2004.

DE SORDI, Denise. As perigosas mudanças no Cadastro Único, o Bolsa Família e o Brasil rumo ao Mapa da Fome. El País, São Paulo, 1 fev. 2021.

DE SORDI, Denise. As Cozinhas Solidárias como política de combate à fome e à pobreza. Brasil de Fato, Rio de Janeiro, 12 fev. 2023.

DE SORDI, Denise. Cozinhas Solidárias são um recurso de sobrevivência. Le Monde Diplomatique, Brasil, 12 jul. 2022.

DE SORDI, Denise. Moradia, Trabalho e luta. Uberlândia: Editora Navegando, 2017.

DE SORDI, Denise. O arroz Velho Chico: transição agroecológica e quebra intergeracional da pobreza no campo. Brasil de Fato, São Paulo, 14 mai. 2023.

DE SORDI, Denise. O garimpo dos ossos e o apagão dos programas sociais brasileiros. Le Monde Diplomatique, Brasil, n.p., 19 out. 2021.

DE SORDI, Denise. Reformas nos programas sociais brasileiros: solidariedade, pobreza e

controle social. 2019. Tese (Doutorado em História Social) – Instituto de História, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2019.

HABERMAS, Jürgen. Mudança estrutural da esfera pública: investigações quanto a uma categoria da sociedade burguesa. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2003.

FORNILLO, Bruno. Las estratégias políticas piqueteras autónomas en el contexto de reposicionamento de la actividad estatal: la aparición del Frente Popular Darío Santillán. IV Jornadas de Jóvenes Investigadores. Instituto de Investigaciones Gino Germani, Facultad de Ciencias Sociales, Universidad de Buenos Aires, Buenos Aires, 2007.

FRASER, Nancy. Da redistribuição ao reconhecimento? Dilemas da justiça numa era “pós-socialista”. Cadernos de Campo, São Paulo, n. 14/15, p. 1-382, 2006.

GOHN, Maria da Glória. Teorias dos movimentos sociais: paradigmas clássicos e contemporâneos. São Paulo: Edições Loyola, 2014.

GUSMÃO, Rute. A ideologia da solidariedade. Serviço Social & Sociedade, n ̊ 62. São Paulo: Cortez, 2000.

II Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da COVID-19 no Brasil. II VIGISAN: relatório final. Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar – PENSSAN. São Paulo: Fundação Friedrich Ebert: Rede PENSSAN, 2022.

MERRIL, Michael. Capitalismo, exterminismo e economia moral: E. P. Thompson hoje. In: BOSI, António de Pádua; SOUZA, Aparecida Darc de; MORAIS, Sérgio Paulo (org.). E. P. Thompson: história, educação e presença. São Paulo: Edições Verona, 2018.

NUNES, Rodrigo. Do transe à vertigem: ensaios sobre bolsonarismo e um mundo em transição. São Paulo: Ubu Editora, 2022.

OLIVEIRA, Francisco de. Crítica à razão dualista – o ornitorrinco. São Paulo: Boitempo, 2003.

OLIVEIRA, Francisco de; BRAGA, Ruy; RIZEK, Cibele (org.). Hegemonia às avessas: economia, política e cultura na era da servidão financeira. São Paulo: Boitempo, 2010.

OLIVEIRA, Francisco de. Privatização do público, destituição da fala e anulação da política: o totalitarismo neoliberal. In: Os sentidos da democracia: políticas do dissenso e a hegemonia global. Núcleo de Estudos dos Direitos da Cidadania – Nedic (org.). Petrópolis, RJ: Vozes; Brasília: NEDIC, 1999.

Os sentidos da democracia: políticas do dissenso e a hegemonia global. Núcleo de Estudos dos Direitos da Cidadania – Nedic (org.). Petrópolis, RJ: Vozes; Brasília: NEDIC, 1999.

PAOLI, Maria Célia. Apresentação e Introdução. In: Os sentidos da democracia: políticas do dissenso e a hegemonia global. Núcleo de Estudos dos Direitos da Cidadania – Nedic (org.). Petrópolis, RJ: Vozes; Brasília: NEDIC, 1999.

PAOLI, Maria Célia. Movimentos Sociais, Cidadania, Espaço Público: Perspectivas para os anos 90. Revista Crítica de Ciências Sociais, 33, p. 115-133, out./1991.

ROLNIK, Raquel; PEREIRA, Alvaro Luis dos Santos; MOREIRA, Fernanda Accioly; ROYER, Luciana de Oliveira; IACOVINI, Rodrigo Faria Gonçalves; NISIDA, Vitor Coelho. O Programa Minha Casa Minha Vida nas regiões metropolitanas de São Paulo e Campinas: aspectos socioespaciais e segregação. Artigos complementares, Cadernos Metrópole, n. 17, v. 33, maio de 2015.

SANTARSIERO, Luis Hernan. Los comedores comunitarios como fenómeno social, político y alimentario en la Argentina de los últimos treinta años: Una "guía práctica" para su comprensión. Cuestiones de Sociología, n. 9, p. 319-323, 2013.

TELLES, Vera da Silva. Pobreza e Cidadania. São Paulo: Programa de Pós-Graduação em Sociologia da FFLCH-USP/Editora 34, 2013.

THOMPSON, Edward Palmer. A formação da classe operária inglesa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

Downloads

Publicado

2023-08-01

Como Citar

DE SORDI, Denise. Cozinhas Solidárias do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST): Solidariedade e reconstrução da esfera pública (2021-2022). Revista Mundos do Trabalho, Florianópolis, v. 15, p. 1–21, 2023. DOI: 10.5007/1984-9222.2023.e92392. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/mundosdotrabalho/article/view/92392. Acesso em: 19 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.