O serviço de remodelação do ensino profissional técnico das escolas de aprendizes artífices: um lugar de expertise para o ensino profissional técnico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-795X.2022.e85466

Palavras-chave:

História da Educação Matemática, História do Ensino Profissional, Ensino de Matemática

Resumo

Este artigo tem como objetivo caracterizar o Serviço de Remodelação do Ensino Profissional Técnico como um lugar de expertise. Para este propósito, busca-se compreender como a comissão do Serviço de Remodelação investiu em trabalhos de inspeção como uma ferramenta de diagnóstico. Também, entender como as inspeções se converteram em conhecimento que proporciona ajustar os métodos de ensino, em particular, do ensino de matemática. Como referencial teórico será utilizado o conceito de expertise para se interpretar o Serviço de Remodelação como lugar institucional capaz de gerar conhecimentos e experiências reconhecidas pelo governo, no âmbito do ensino profissional técnico. Foram utilizados como fontes de pesquisa para este estudo os Relatórios do Ministério da Agricultura, Indústria e Comércio e materiais elaborados pelo Serviço de Remodelação. Além disso, fez-se uso de fontes secundárias, como literaturas consolidadas sobre a temática proposta e matérias de jornais da época, que contribuíram com informações. Como resultado, verifica-se que o Serviço de Remodelação se fundamenta inicialmente em uma expertise que se desenvolve em outros conhecimentos e experiências, principalmente no que tange a lógica gestionária, que implica na reestruturação do ensino de matemática. Tal reestruturação altera as lógicas de transmissão dos conteúdos dos saberes e das práticas. Com isso, tem-se que essa expertise do Serviço de Remodelação vai moldar a Rede de Ensino Profissional Técnico estabelecida com as EAAs.

Biografia do Autor

Flavia Caraiba de Castro, Instituto Federal Catarinense, IFC

Possui graduação de Licenciatura em Matemática pela Fundação Universidade Federal do Tocantins (2011). Mestrado no  Programa de Pós Graduação em Educação Científica e Tecnológica na Universidade Federal de Santa Catarina (2014) e atualmente é docente do Instituto Federal Catarinense, IFC.

Renata Feuser Silveira, Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

David Antonio da Costa, Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

Referências

BARBARESCO, Cleber Schaefer. Saberes a ensinar aritmética na Escola de Aprendizes Artífices de Santa Catarina (1909-1937) lidos nos documentos normativos e livros didáticos. Orientador: David Antonio da Costa. 2019. 183 f. Dissertação (Mestrado em Educação Científica e Tecnológica) - Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Florianópolis, 2019. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/194962. Acesso em: 11 jun. 2022.

BARBARESCO, Cleber Schaefer; COSTA, David Antonio da. Ferramentas das Oficinas e o Ensino de Aritmética da Escola de Aprendizes Artífices de Santa Catarina. Revista de História da Educação Matemática, São Paulo, v. 5, n. 1, p. 49-65, 2019. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/197217. Acesso em: 11 jun. 2022.

BARBARESCO, Cleber Schaefer; COSTA, David Antonio da. A expertise de João Lüderitz: A organização do ensino de aritmética nas Escolas de Aprendizes Artífices (1920-1926). REMATEC, Belém, v. 15, n. 34, p. 48-69, 2020. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/217038. Acesso em: 11 jun. 2022.

BARBARESCO, Cleber Schaefer; COSTA, David Antonio da. A FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA AS ESCOLAS DE APRENDIZES ARTÍFICES: apontamentos sobre sua matemática para ensinar. Seminário Temático Internacional, v. 1, n. 1, p. 1-17, 2021. Disponível em: http://www.anais.ghemat-brasil.com.br/index.php/STI/article/view/17. Acesso em: 11 jun. 2022.

BRASIL. Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil. Rio de Janeiro, RJ: Presidente da República, 1891. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao91.htm. Acesso em: 11 jun. 2022.

BRASIL. Decreto nº 7.566 de 23 de set. 1909. Cria nas Capitais dos Estados da República Escolas de Aprendizes Artífices para o ensino profissional primário e gratuito. 1909a. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/116790. Acesso em: 11 jun. 2022.

BRASIL. Decreto nº 7.649 de 11 de nov. 1909. Cria nas Escolas de Aprendizes Artífices os lugares de professores dos cursos primários noturnos e de desenho. 1909b. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/116789. Acesso em: 11 jun. 2022.

BRASIL. Decreto nº 7.763 de 23 de dez. 1909. Altera os decretos de n. 7.566 e n. 7.649. 1909c. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/182545. Acesso em: 11 jun. 2022.

BRASIL. Decreto nº 9.070 de 25 de out. 1911. Dá um novo regulamento às Escolas de Aprendizes Artífices. 1911. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/182550. Acesso em: 11 jun. 2022.

BRASIL. Decreto nº 13.064 de 12 de jun. de 1918. Dá novo regulamento às Escolas de Aprendizes Artífices. 1918a. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/182547. Acesso em: 11 jun. 2022.

BRASIL. Decreto n. 19.560, de 5 de janeiro de 1931. Aprova o regulamento que organiza a Secretaria de Estado do Ministério da Educação e Saúde Pública. 193. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1930-1939/decreto-19560-5-janeiro-1931-515777-publicacaooriginal-1-pe.html. Acesso em: 11 jun. 2022.

COSTA, David Antonio da. A aritmética escolar no ensino primário brasileiro: 1890-1946. Orientador: Wagner Rodrigues Valente. 2010. 278 f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, PUC/SP, São Paulo, 2010. Disponível em: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/1792. Acesso em: 11 jun. 2022.

CUNHA, Luiz A. O ensino de ofício nos primórdios da industrialização. 1.ed. São Paulo, SP: UNESP, 2000.

FONSECA, Celso S. da. A história do ensino industrial no Brasil. 1.ed. Rio de Janeiro, RJ: Escola Técnica Nacional, 1961, v.1.

GOMES, Luiz Claudio G. Escola de Aprendizes Artífices de Campos: História e Imagens. Campos dos Goytacazes, RJ: Essentia Editora, 2017.

HOFSTETTER, Rita; SCHNEUWLY, Bernard; FREYMOND, Mathilde de. Penetrar na verdade da escola para ter elementos concretos de sua avaliação – A irresistível institucionalização do expert em educação (século XIX e XX). In: HOFSTETTER, Rita; VALENTE, Wagner Rodrigues (Org.). Saberes em (trans) formação: tema central a formação de professores. 1 ed. São Paulo: Editora da Física, 2017, p. 55 – 112.

LÜDERITZ, J. O ensino profissional technico no Brasil. Correio da Manhã - Rio de Janeiro, p. 01- 01, ed. 09729, 08 out. 1926. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/089842_03/27834. Acesso em: 22 jun. 2022.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, INDUSTRIA E COMÉRCIO (MAIC). Relatório das Escolas de Aprendizes Artífices: 1920. Imprensa Nacional, Rio de Janeiro, 1920. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/182543. Acesso em: 07 nov. 2021. Acesso em: 05 dez. 2021.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, INDUSTRIA E COMÉRCIO (MAIC). Relatório das Escolas de Aprendizes Artífices: 1926. Imprensa Nacional, Rio de Janeiro, 1926. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/182544. Acesso em: 07 nov. 2021. Acesso em: 20 nov. 2021.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, INDUSTRIA E COMÉRCIO (MAIC). Relatório das Escolas de Aprendizes Artífices: 1927. Imprensa Nacional, Rio de Janeiro, 1927. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/182549. Acesso em: 05 dez. 2021.

MEDEIROS, Paulo M. (Org.). MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. A Educação nas mensagens presidenciais (1890 1986). Brasília: INEP, 1987, v. 1.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E SAÚDE PÚBLICA (MESP). Decreto n. 21.353, de 03 de maio de 1932. Rio de Janeiro, 1932. Disponível: http://www2.camara.leg.br/atividadelegislativa/legislacao/publicacoes/republica. Acesso em: 07 nov. 2021. Acesso em: 05 dez. 2021.

QUELUZ, Gilson L. Concepções de Ensino Técnico na República Velha (1909 – 1930). Curitiba: CEFET-PR, 2000.

SERVIÇO DE REMODELAÇÃO DO ENSINO PROFISSIONAL TÉCNICO (SREPT). Curso de Desenho para as Escolas Profissionaes Techcnicas (Desenho Constructivo). v. 2, Rio de Janeiro, 1928.

SOARES, Manoel de J. A. As Escolas de Aprendizes Artífices: estrutura e evolução. Fórum Educacional, Rio de Janeiro, v. 6, n. 2, p. 58 – 92, 1982.

Downloads

Publicado

2022-08-12

Como Citar

Barbaresco, C. S. ., Castro, F. C. de, Silveira, R. F. ., & Costa, D. A. da. (2022). O serviço de remodelação do ensino profissional técnico das escolas de aprendizes artífices: um lugar de expertise para o ensino profissional técnico. erspectiva, 40(2), 1–22. https://doi.org/10.5007/2175-795X.2022.e85466