Redescobrindo a Amazônia: Comentário da Tradução Parcial de A Description of British Guiana Geographical and Statistical, de Robert Schomburgk

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7968.2022.e90700

Palavras-chave:

Estudos da Tradução, Amazônia, Texto Histórico

Resumo

O presente artigo consiste nos comentários da tradução de A description of British Guiana, de Robert Schomburgk, explorador prussiano do século XIX. De maneira geral, o relato se volta para uma descrição estatística e geográfica da Guiana Inglesa. Neste primeiro contato com a obra, procedemos uma tradução parcial, considerando trechos relacionados aos habitantes, religião e instrução pública das colônias de Demerara e Essequibo. Apesar do caráter eminentemente descritivo, o documento também registra várias críticas sociais ao modelo de ocupação europeu, sobretudo no que diz respeito ao extermínio dos nativos e à escravatura. Metodologicamente, observamos os princípios da ecotradução (TORRES, 2021), buscando valorizar o contexto cultural, a ética na tradução de textos históricos e o impacto da ação humana no meio ambiente.

Biografia do Autor

Antônio Sérgio da Costa Pinto, Univerisdade Federal do Pará

É professor Associado I da Universidade Federal do Pará, possui graduação em Letras licenciatura pela Universidade Federal do Pará (1994). É Especialista na área de Linguística Aplicada ao Ensino/Aprendizagem do Inglês como Língua Estrangeira. Atuou como Chefe de Departamento de Línguas Estrangeiras do Centro de Letras e Artes, foi coordenador dos Cursos Livres de Línguas Estrangeiras da Faculdade de Letras Estrangeiras Modernas, foi coordenador de língua inglesa no PARFOR, LABENALE e PROFILE, tem experiência na área de ensino superior com ênfase em ensino de língua inglesa, fonética e fonologia, morfologia e sintaxe da língua inglesa. Concluiu seu Mestrado em Letras/Linguística (Fonologia de Geometria de Traços) (UFPA, 2013). É doutor em Estudos da Tradução pela Universidade Federal de Santa Catarina em convênio com a Universidade Federal do Pará (UFSC-UFPA 2016-2020).

Joaquim Martins Cancela Jr, Universidade Federal do Pará

Professor de Língua e Literatura Anglófonas da Faculdade de Língua Inglesa do Campus de Soure - Universidade Federal do Pará, Brasil. Doutorando em Estudos da Tradução pela UFSC-PGET.

Referências

Costa, Heloíse. “É preto ou negro?”. Instituto Identidades do Brasil. Disponível em https://simaigualdaderacial.com.br/site/e-preto-ou-negro, acessado em 15.03.2022.

Ferreira, Lenne e Lacerda, Victor. “Resistência indígena: entenda porquê o termo ‘índio’ é considerado pejorativo”. Alma preta. Disponível em Resistência Indígena: Entenda porquê o termo "índio" é considerado pejorativo (almapreta.com) acessado em 17.03.2022.

Frank, Erwin. “Beleza e Vício: o olhar etnográfico dos irmãos Schomburgk (1835-1844)”. Anthropologicas, ano 11, v 18(1): 95-136, 2007.

Schomburgk, Robert-H. A description of British Guiana, Geographical and Statistical. London: Simpkin, Marshall, and Co, 1840. P. 42-57.

Torres, Marie Hélène Catherine. “Tradução e ética: a problemática da retroconversão. Cadernos de Tradução, v 41, p. 174-184, 2021.

Downloads

Publicado

2022-11-25

Edição

Seção

Traduzindo a Amazônia II