Mundos do Trabalho

A revista Mundos do Trabalho é uma publicação do GT Mundos do Trabalho da Associação Nacional de História em parceria com o Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal de Santa Catarina, destinada a divulgar produções inéditas, na forma de artigos, resenhas, entrevistas, fontes primárias inéditas comentadas, conferências, debates e notícias de eventos, relacionados à História Social do Trabalho e temas conexos.


Imagem para capa da revista

Notícias

 

Chamada para publicação

 

Chamada para publicação 2017

 

I. Informações gerais

 

A Revista Mundos do Trabalho, publicação semestral do GT Mundos do Trabalho da Associação Nacional de História (ANPUH), abre chamada pública de trabalhos. A submissão de colaborações (artigos para dossiê e seção livre, resenhas críticas, transcrições comentadas, traduções, entrevistas e comentários sobre acervos e fontes documentais) deverá ser realizada entre 15/07/2017 e 15/09/2017 pelo site https://periodicos.ufsc.br/index.php/mundosdotrabalho/index. Recomenda-se que os trabalhos não sejam submetidos fora do prazo indicado. O material recebido será apreciado pela Equipe Editorial e por pareceristas ad hoc.

 

Edição vol. 09, n. 18 (2017/2): Dossiê Trabalhadoras(es) e cidadaniaorganização: Aldrin Castellucci (UNEB), Nauber Gavski da Silva (UNICAMP) e David P. Lacerda.

 

O dossiê receberá artigos originais, resultados de pesquisa empírica, sobre a questão da cidadania e suas conexões com os mundos do trabalho. Busca-se acolher estudos históricos que abordem processos, contextos e experiências envolvendo as lutas em torno da construção, manutenção e derrubada de direitos civis, políticos, sociais e humanos. O dossiê procura contemplar variado leque temático (protesto popular, relações de trabalho, associativismo, espaço público/ordem privada, limites da liberdade, racismo, voto, eleições, educação, entre outros), privilegiando artigos cujo enfoque analítico verse sobre a capacidade política e o protagonismo de trabalhadoras e trabalhadores diante do que identificaram como seus direitos. Serão bem-vindos textos de cunho teórico, historiográfico, de crítica documental ou que tratem de acervos e arquivos relacionados ao tema do dossiê.

 

 

II. Normas de publicação

 

Diretrizes para autores:

https://periodicos.ufsc.br/index.php/mundosdotrabalho/about/submissions#authorGuidelines

 

Para efeitos de padronização gráfica, os trabalhos devem seguir, rigorosamente, as normas abaixo especificadas:

1. Os artigos devem ser escritos em língua portuguesa (Brasil), obedecer ao formato Word for Windows (doc. ou docx.), ter entre 35.000 e 60.000 caracteres com espaço (em torno de 25 páginas), incluindo tabelas, legendas e notas de rodapé, em fonte Calibri 11, espaço entre linhas de 1.5, margens de 2,5 cm e parágrafo de 1.5 cm (primeira linha).

2. A primeira página deve conter resumo e abstract (em torno de 10 linhas), três palavras-chave em português e três em inglês, título do trabalho centralizado (em português e inglês), nome do(a) autor(a) alinhado à direita, instituição que apoia o trabalho (quando for o caso) indicada em nota de rodapé (*), titulação e vínculo institucional (**) e e-mail para contato (opcional);

3. Bibliografia (cf. os exemplos a seguir), fontes documentais e comentários críticos devem ser indicados em notas de rodapé. Não é necessário destacar ao final do texto o material arrolado nas notas. Recomenda-se o uso parcimonioso das mesmas, de forma a garantir a fluidez da leitura.

 

Livro

GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas, sinais: morfologia e história. Tradução: Federico Carotti. 2ª edição. São Paulo: Companhia das Letras, 2002. Citações seguintes: GINZBURG. Mitos, emblemas, sinais, p. 205.

WILLIAMS, Raymond. Culture and materialism – selected essays. London: Verso Books, 2005.

Citações seguintes: WILLIAMS. Culture and materialism, p. 54-55.

 

Capítulo de livro

THOMPSON, E. P. “Agenda for a Radical History”. In: ______. Making history: writings on History and Culture. New York: The New Press, 1994.

Citações seguintes: THOMPSON. “Agenda for a Radical History”, p. 362.

VOVELLE, Michel. “Da história das culturas à história das atitudes: onde se encontra o inconsciente coletivo?”. In: ______. Ideologias e mentalidades. Tradução: Maria Julia Cottvasser. São Paulo: Brasiliense, 2004, p. 103-150.

Citações seguintes: VOVELLE. “Da história das culturas à história das atitudes”, p. 121-122.

 

Capítulo em coletânea

PERROT, Michelle. “On the Formation of the French Working Class”. In: KATZNELSON, Ira; ZOLBERG, Aristide R. (ed.). Working-Class Formation: Nineteenth-Century Patterns in Western Europe and the United States. Princeton: Princeton University Press, 1986, p. 75-110.

Citações seguintes: PERROT. “On the Formation”, p. 87.

MACHADO, Maria Helena Pereira Toledo. “De rebeldes a fura-greves: as duas faces da experiência da liberdade dos quilombolas do Jabaquara na Santos pós-emancipação”. In: CUNHA, Olívia Maria Gomes da; GOMES, Flávio dos Santos (orgs.). Quase-cidadão: histórias e antropologias da pós-emancipação no Brasil. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2007, p. 241-282.

Citações seguintes: MACHADO. “De rebeldes a fura-greves”, p. 279.

 

Teses e Dissertações

LIMA e SOUZA, Mônica. “Entre margens: o retorno à África de libertos no Brasil, 1830-1870”. (Tese de doutorado em História, Universidade Federal Fluminense, 2008), p. 105.

Citações seguintes: LIMA E SOUZA. “Entre margens”, p. 202.

ZEITLIN, Jonathan Hart. “Craft regulation and the division of labour: engineers and compositors in Britain, 1890-1914”. (PhD Thesis in Social History, University of Warwick, 1981), p. 233.

Citações seguintes: ZEITLIN. “Craft regulation”, p. 410.

 

Artigos em periódicos

KOCKA, Jürgen. “Losses, Gains and Opportunities: Social History Today”. Journal of Social History, vol. 37, nº 1, p. 21-28, Special Issue (autumn, 2003).

Citações seguintes: KOCKA. “Losses, Gains and Opportunities”, p. 25.

LEITE LOPES, José Sergio; PESSANHA, Elina; RAMALHO, José Ricardo. “Esboço de uma história social da primeira geração de sociólogos do trabalho e dos trabalhadores”. Educação & Sociedade – Revista de Ciência da Educação, Campinas, v. 33, n. 118, p. 115-129, jan.-mar. 2012.

Citações seguintes: LEITE LOPES; PESSANHA; RAMALHO. “Esboço de uma história social”, p. 120-121.

 

Artigo publicado em anais eletrônicos

SCOTT, Rebecca J. “O trabalho escravo contemporâneo e os usos da história”. In: VI ENCONTRO ESCRAVIDÃO E LIBERDADE NO BRASIL MERIDIONAL – A experiência dos Africanos e seus descendentes no Brasil, 2013, Florianópolis/SC. Anais... Florianópolis, UFSC, 2013, p. 1-11 (Anais eletrônicos). Citações seguintes: SCOTT. “O trabalho escravo contemporâneo”, p. 8.

GUIMARÃES, Carlos Gabriel. “O Estado Imperial brasileiro e os bancos estrangeiros: o caso do London and Brazilian Bank (1862-1871)”. In: XXVI SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA – ANPUH: 50 ANOS, I, 2011, São Paulo. Anais... São Paulo: Editora ANPUH-SP, 2011, p. 1-20 (Anais eletrônicos).

Citações seguintes: GUIMARÃES. “O Estado imperial brasileiro e os bancos estrangeiros”, p. 17.

 

Textos e documentos históricos disponíveis na internet:

LUCASSEN, Jan. “Outlines of a History of Labour”. http://socialhistory.org/en/publications/outlines-history-labour, acesso em (indicar data da consulta).

Citações seguintes: LUCASSEN. “Outlines of a History of Labour”.

ALONSO, Angela. “Associativismo avant la lettre – as sociedades pela abolição da escravidão no Brasil oitocentista”. http://cebrap.org.br/bv/arquivos/215_artigo.pdf, acesso em (indicar data da consulta).

Citações seguintes: ALONSO. “Associativismo avant la lettre”, p. 12.

 

Imprensa periódica

Título do periódico em itálico, cidade da publicação, dia mês (abreviado, exceto maio) ano, p. x-y.

O Tempo, Salvador, 10 jun. 1919, p. 1.

O Amigo do Escravo, Rio de Janeiro, 27 out. 1883, p. 2.

Echo do Povo, Porto Alegre, 12 mar. 1909, p. 1.

O Brasil, Rio de Janeiro, 1 maio 1925, p. 7.

A Província, Recife, 28 jan. 1930, p. 3.

Diário Oficial da União, Rio de Janeiro, 2 ago. 1932, seção 1, p. 29.

 

 

Artigos ou matérias (assinadas) publicadas na imprensa periódica

LACERDA, Maurício. “O voto das mulheres”. O Debate, Rio de Janeiro, 12 jul. 1917, p. 3.

Citações seguintes: LACERDA. “O voto das mulheres”.

NAZARETH, Agripino. “O Socialismo na Argentina. Necessidade da organização política do proletariado brasileiro”. Hoje, Rio de Janeiro, 31 mar. 1921, p. 1-2.

Citações seguintes: NAZARETH. “O Socialismo na Argentina”.

ALENCASTRO, Luiz Felipe. “As armas e as cotas”. Folha de S. Paulo, São Paulo, 2 set. 2012, Ilustríssima, p.

Citações seguintes: ALENCASTRO. “As armas e as cotas”.

COWLEY, Jason. “A shattered union. Are these the last days of Great Britain?”. New Statesman, 12-18 set. 2014, p. 22-26.

Citações seguintes: COWLEY. “A shattered union”, p. 24.

 

4. As citações de até três linhas devem vir entre aspas no corpo do texto e as que ultrapassarem esse limite deverão ser destacadas com recuo à esquerda de 4 cm, espaçamento simples, fonte Calibri 10, sem aspas. As citações em língua estrangeira devem ser traduzidas e o texto original indicado em nota de rodapé.

5. Os textos podem conter ilustrações, gráficos, tabelas e quadros, sendo indispensável indicar as fontes utilizadas e as respectivas legendas. Imagens (fotos ou figuras) devem ter resolução mínima de 300 dpi, em formato TIFF ou JNP.

6. As resenhas devem ter entre 10.000 e 15.000 caracteres com espaço (até cinco páginas), título, três palavras-chave em português e três em inglês. Serão aceitas resenhas de obras reeditadas que tenham sido publicadas – no máximo – há três anos.

7. A revista recebe transcrição de fontes inéditas e entrevistas, segundo as normas especificadas para os artigos, acompanhadas de uma breve apresentação do material submetido, além de três palavras-chave em português e três em inglês.

8. Em caso de dúvida, entre em contato pelo e-mail: revistamundosdotrabalho@gmail.com

 
Publicado: 2017-07-15
 
Outras notícias...

v. 8, n. 16 (2016): Biografia e História do Trabalho (II)


Capa da revista